Estado

para abastecer às comunidades dos municípios atingidos. A solicitação ocorreu durante audiência realizada na tarde desta quarta-feira, 08 de agosto.

Nove localidades da zona rural foram afetadas pela estiagem, totalizando 6.320 pessoas: Povoado do Bom Jesus, Sertão de Arraias, Sertão de Conceição, região do Melado, região do Puçazeiro, região do Buriti, Povoado do Tigre, região do Angical e região do Ventura.

A Defesa Civil do Estado informa que os efeitos da seca já causaram prejuízos à pecuária e à agricultura. E que para beber água a população tem percorrido longas distâncias e cavado buracos nos leitos dos rios.

As 22 escolas rurais estão sem água potável e os 280 alunos, que caminham longos percursos para chegar à sala de aula, passam sede. Muitos levam água em garrafas, mas sem condições adequadas para o consumo. Há possibilidade de suspensão das aulas. O sistema de saúde local está sobrecarregado.

O parecer técnico de avaliação de danos sobre o município de Paranã, realizado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, no período de 29 de julho a 4 de agosto, constatou estiagem, em nível 3, o que caracteriza situação de emergência.

O fato gera preocupação no setor de saúde, pois, a busca por água tem levado à população a consumir água, que muitas vezes não recebeu tratamento adequado, podendo provocar diarréias e outras contaminações.

O ministro Geddel Vieira garantiu que vai se empenhar para socorrer essa população atingida pela seca. Depois de atendidas as solicitações, a distribuição ficará a cargo da coordenação de Defesa Civil do Tocantins.

Da redação com informação da Assessoria de Imprensa

Matéria relacionada: Estiagem leva Paranã à situação de emergência

Por: Redação

Tags: Estado, Municípios, Pecuária