Estado

é de fomentar discussões que levem à criação do comitê da bacia do Rio Palma, órgão gestor do Plano de Bacia do Palma, em fase de construção. A reunião começou com a apresentação das ações emergenciais de combate aos efeitos da estiagem no Sudeste, feita pelo engenheiro Miguel De Negri, coordenador das ações no âmbito da Secretaria dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente.

Vereadores, representantes do setor produtivo, comerciantes e sociedade organizada receberam as informações a cerca do contingente de homens, máquinas e recursos disponibilizados pelo governo do Estado nesta ação. "Nos últimos anos o homem vem pisando na natureza, desmatando, queimando, destruindo e ela agora está dando a sua resposta", explicou De Negri.

Ele fez uma explanação passando pelas causas que provocaram a estiagem prolongada e os reflexos das ações de degradação de matas e nascentes ao longo dos anos. "Só para se ter uma idéia, no mês de abril de 2004 a precipitação pluviométrica em Conceição do Tocantins foi de 172 mm de água. Em abril de 2005 esta quantidade de água diminuiu para 50 mm", informou. Segundo moradores de Conceição presentes à reunião, este ano não choveu na cidade durante o mês de abril.

Além das ações emergenciais, De Negri destacou as possibilidades consideradas para resolver o problema a médio e longo prazo. Ele citou desde a construção de reservatórios para recolher e armazenar água da chuva, à perfuração de poços profundos, com cerca de 80 metros, havendo ainda no Propertins estudos para a construção de cinco barragens de médio porte na região. "A forma como vamos lidar com nossas nascentes, rios e córregos de agora por diante é que vai dizer como será nosso futuro", destacou o engenheiro, salientando a importância da educação ambiental e ações de proteção.

Gestão Popular

O Consórcio GAMA/Office De L’eau (Oficina da Água) fez uma exposição do diagnóstico inicial, feito pelo grupo a partir dos contatos com a população nas primeiras reuniões que formaram grupos de trabalho nas cidades que compõem a Bacia do Palma. "Estamos com nossas equipes em campo, fazendo a medição das vazões, levantamento hidrogeológico e estaremos concluindo esta etapa da construção do plano de bacia dentro de dois meses", explicou Alex Gama, diretor da empresa.

A reunião em Arraias é a primeira reunindo os representantes que compõem os grupos de trabalho de cada cidade. "A intenção é que esta discussão amadureça e que a própria comunidade organize seu Comitê da Bacia do Rio Palma. Este comitê é um instrumento de gestão popular, que vai tomar as decisões a respeito de como estes recursos hídricos, dentro da sua bacia específica serão utilizados", explicou a coordenadora de mobilização da SRHMA, Dircivânia Marques .

Estiveram presentes nesta fase da discussão representantes dos municípios de Arraias, Taguatinga, Ponte Alta do Tocantins, Lavandeiras, Combinado, Aurora do Tocantins, Novo Jardim, Conceição do Tocantins, Taipas e Paranã.

Secom

Por: Redação

Tags: arraias, cidade, Estado, Municípios, Tocantins