Geral

Marcada para 5 de dezembro, em Brasília, a marcha terá como objetivo discutir metas como a redução de jornada de trabalho e o combate ao trabalho escravo e à terceirização de funcionários.

"A idéia da marcha é para que a gente possa ter um país mais decente e melhor, reduzindo a jornada e criando mais e melhores empregos", disse o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força.

Segundo Paulinho, a expectativa é que, até a data do evento, o Senado já tenha rejeitado emenda feita pela Câmara dos Deputados que acaba com a obrigatoriedade da cobrança do imposto sindical. A emenda foi incluída no texto da proposta que regulamenta as centrais sindicais.

O deputado disse que é favorável a uma reforma da estrutura sindical feita aos poucos. "A reforma que estamos propondo é fatiada. Fizemos questão do trabalho no comércio aos domingos, das centrais sindicais, queremos uma nova contribuição sindical, regulamentar o direito de greve do setor público. Essas questões vão sendo enviadas para o Congresso uma por uma. A questão da legalização das centrais sindicais é mais uma dessas propostas que estamos fazendo."

Fonte: Agência Brasil