Economia

O Ministério do Trabalho começou, nesta segunda-feira (3), a enviar cartas para cerca de 2 milhões de trabalhadores que ainda não sacaram o dinheiro do PIS/Pasep.

Porém, é possível que muitas pessoas não recebam a notificação, devido à mudança de endereço e à falta de atualização do cadastro. No caso do abono com ano-base 2005, cujo saque foi encerrado em junho deste ano, 300 mil trabalhadores não receberam as cartas, porque não tinham endereço cadastrado, e outros 200 mil, por estarem com endereço incorreto.

Conforme veiculou a Agência Brasil, ainda não foram retirados R$ 750 milhões, referentes ao exercício de 2006. Para Ezequiel Nascimento, vice-presidente do Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador), os trabalhadores deixam de sacar o abono devido à falta de informação.

Nascimento também afirmou que as cartas têm o objetivo de aproveitar as festas de fim de ano e lembrar a pessoa que ela tem um dinheiro a mais.

Quem tem direito

Para ter o direito de sacar o dinheiro do PIS/Pasep, o trabalhador deve estar cadastrado no PIS/Pasep até 2002 e ter trabalhado, no mínimo, 30 dias em 2006 com carteira de trabalho assinada pela empresa, além de ter recebido, em média, até dois salários mínimos mensais.

Para retirar a quantia, é necessário ir até uma agência da Caixa Econômica Federal, no caso do PIS, pago aos trabalhadores da iniciativa privada, ou do Banco do Brasil, no caso do Pasep, pago aos servidores públicos, com carteira de identidade e comprovante de inscrição. Aqueles que têm o cartão cidadão e senha cadastrada na Caixa podem sacar o dinheiro nos terminais eletrônicos, casas lotéricas e postos do Caixa Aqui.

O último lote de pagamento do PIS começou a ser liberado no dia 21 de novembro para um total de 655 mil trabalhadores nascidos em junho. Os pagamentos referentes ao ano-base 2006, continuarão a ser realizados até junho do próximo ano.

InfoMoney

Por: Redação

Tags: cidadão, Economia, trabalhador