Palmas

Depois de percorrer os setores Aureny I, II, III e IV, União Sul, Irmã Dulce, Santa Bárbara e quadra 603 Norte, os técnicos do Centro de Controle de Zoonoses de Palmas (CCZ) iniciaram esta semana as ações do inquérito canino na quadra 605 Norte. Até o momento, foram coletadas 2.800 amostras de sangue dos animais.

Inquérito canino é o levantamento da população de cães de Palmas e realização de exame sorológico para identificação para da Leishimaniose Visceral, mais conhecida como Calazar, doença que também pode atingir o ser humano.

Este levantamento deve ser concluído em Palmas até junho, com a realização de exame nos 18 mil animais da Capital, população canina estimada pelo CCZ.

As amostras são processadas pelo Laboratório Municipal e o resultado é obtido em até 30 dias, após a coleta. No caso do laudo positivo, os agentes do CCZ apresentam pessoalmente o resultado

ao proprietário do cão, já que em situações como está o Ministério da Saúde preconiza a eutanásia, uma vez que no animal, a doença não tem cura e oferece riscos à saúde pública.

Desde o início do inquérito, a doença foi diagnosticada em 422 cães, deste total, 166 já foram recolhidos e sacrificados, 179 já estão na relação para recolhimento e em 77 casos houve resistência dos donos, que não entregaram o animal.

Neste último caso, a Secretaria de Saúde tomará as medidas coercitivas cabíveis que possui, com poder de polícia administrativa, para atender a recomendação do Ministério da Saúde.

Karlany Soares

Ascop

Por: Redação

Tags: Calazar, Palmas, Saúde