Polí­tica

Foto: Divulgação

Uma entrevista concedida ao site ecosdotocantins na manhã da segunda-feira (7) pelo ainda presidente (a nova diretoria eleita deve assumir dia 30 de janeiro) do Diretório Estadual do PT, José Santana, causou estranhesa no meio político, mas foi prontamente remendada nesta quarta feira, (9), quando então, Santana deu declarações a um outro site de propriedade do Assessor de Comunicação da Vice-Governadoria Alvaro Vallim, que fez uma notinha a respeito do tema na editoria de política.

Na entrevista ao ecosdotocantins, Santana teria respaldado a ação do presidente do Diretório municipal do PT de Lajeado (TO), Arlindo Silvério Almeida, no caso do recurso contra o governador Marcelo Miranda (PMDB). A entrevista foi concedida ao repórter Daniel Machado e Santana teria dito que não desaprovava a ação de Almeida, que da forma como noticiamos na quinta-feira (3), havia entrado com um recurso pedindo a cassação do governador Marcelo Miranda (PMDB).

Santana ainda teria dito, segundo o ecosdotocantins, que Almeida não teria qualquer tipo de punição por tomar essa atitude e ainda segundo o ecosdotocantins, completou dizendo, que, o Diretório Regional no Tocantins poderia ajudar o correligionário no procedimento caso este viesse a solicitar.

O Conexão Tocantins falou com Santana à pouco e este desmentiu as informações veiculadas pelo site ecosdotocantins, reafirmando o que Donizeti Nogueira, secretário geral e presidente eleito para o novo mandato do Diretório Estadual do partido já havia dito em exclusiva ao Conexão Tocantins com relação ao recurso impetrado por Almeida. “Eu não disse a ninguém que o PT poderia vir apoiá-lo, eu disse que nós não recriminamos, se alguém escreveu isto aí escreveu por conta própria”. E reitirou dizendo “eu estou desmentindo a matéria, o partido nunca se dispos a apoiá-lo”

Já na informação que originou a nota no site do Assessor do Vice-Governador Paulo Sidnei, Santana informa que a atitude de Almeida é estritamente pessoal e isolada e deve ter ligação com seu apoio a Siqueira Campos e à União do Tocantins durante as eleições de 2006, informação reiterada ao Conexão Tocantins.

Entenda o caso

Logo após publicarmos a nota do TSE sobre o caso do recurso de Almeida na quinta-feira, (3), o Conexão Tocantins tentou falar com Santana e após várias tentativas frustradas, na sexta-feira (4), conseguiu uma entrevista com o secretário geral do partido e atualmente presidente eleito a ser empossado no Diretório Estadual Donizeti Nogueira. Na oportunidade Nogueira classificou o ato de Arlindo como pessoal e isolado e disse que o PT não assumiria qualquer responsabilidade sobre o fato. Disse ainda que o PT não tinha nenhum motivo para desgastar o governador.

Naquela mesma oportunidade a Secretaria de Comunicação – Secom encaminhou ao Conexão Tocantins uma nota referente ao recurso contra o governador na qual retirava a palavra “oposição”, que acompanhou a primeira nota endereçada ao recurso da UT – União do Tocantins. O teor das duas notas podem ser verificadas ao final da entrevista concedida por Donizeti Nogueira ao Conexão Tocantins.

Na nota produzida no veículo de comunicação do Assessor do Vice-Governador, Santana informou que o partido não aprovou, não teve nenhuma participação e muito menos foi consultado por Almeida para levar o processo adiante, repetindo ipsis litteris o que havia dito Nogueira na sexta. A executiva estadual do PT se reuniu nesta quarta-feira, (9), mas não tratou do assunto, para Santana este é um assunto superado e não há nenhum interesse do partido “é um assunto de ordem pessoal” arrematou Santana.

Umberto Salvador Coelho