Meio Ambiente

Foto: Leôncio Padilha

O presidente interino do Naturatins - Instituto Natureza do Tocantins, Marcelo Falcão Soares, disse na manhã desta quarta-feira, 16, durante entrevista coletiva à imprensa, que o órgão vai priorizar as ações de monitoramento e combate às queimadas nas regiões de maior incidência de focos. Com a iniciativa, o Naturatins pretende reduzir a prática das queimadas e tirar o Tocantins da lista dos estados com maior registro de focos no período da seca.

O presidente destacou o prolongado período de estiagem, as altas temperaturas, baixa umidade relativa do ar, os ventos fortes somadas as causas humanas como, queimadas irregulares e sem controle (não autorizadas), incêndios criminosos e falta de consciência ambiental como as principais causas do Tocantins a ocupar o quarto lugar no ranking nacional de focos de calor em 2007.

Comparado aos outros estados da Amazônia Legal, que também possuem altos índices de focos, em 2007 o Estado teve um acréscimo de apenas 18% de queimadas, enquanto o Mato Grosso chegou a 100% em relação ao ano anterior. Este resultado é fruto do trabalho do instituto, que em ainda

em 2007 saiu na frente, com a implantação do Protocolo do Fogo em 16 municípios, sendo que alguns tiveram no topo das estatísticas no âmbito estadual. O órgão emitiu ainda 10 autos de infrações referentes à realização de queimadas irregulares em 760 ha, totalizando R$ 807.815,00 em multas.

Para 2008 o órgão planejou a implantação de novos protocolos em mais 17 municípios; a consolidação e monitoramento dos protocolos firmados em 2007; o cumprimento dos compromissos inerentes ao órgão dentro do acordo e a renovação dos protocolos vencidos (implantados em 2006). Além disso, o instituto pretende intensificar as ações de fiscalização em todo estado, principalmente nas áreas de maior incidência de queimadas, e implementar os trabalhos de educação ambiental.

Investimentos

O governo do Estado, preocupado com a influência das queimadas no processo de aquecimento global, está investindo, capacitando e dando subsídios para que o trabalho seja eficiente e produza bons resultados. Com esta visão investiu ainda no ano passado R$ 19 mil na contratação de 25 brigadistas para atuarem no combate a incêndios florestais nas unidades de conservação de proteção integral do Estado.

Neste ano o órgão estimou no PPA 2008-2011, cerca de R$ 250 mil para compra de equipamentos para as brigadas, contratação periódica de brigadistas para atuarem nas unidades de conservação, suporte logístico e técnico para a realização dos trabalhos de campo e o monitoramento.

Monitoramento

Com a finalidade de avaliar a variação ao longo dos anos dos índices de incêndios florestais, a Coordenadoria de Qualidade Ambiental e Vida Silvestre realizará, em parceria com a Coordenadoria de Geoprocessamento, o monitoramento dos municípios onde os protocolos já foram implantados. Essa ação visa verificar a efetividade dos protocolos na melhoria da qualidade ambiental nos mesmos.

Técnicas alternativas

Por uma questão cultural a queimada ainda é a técnica mais utilizada para a renovação de pastagens e na preparação da terra para o plantio, mas já existem estudos científicos que apontam e defendem o uso de técnicas alternativas para o preparo do solo, dentre elas a implantação de sistemas agroflorestais, pastagens ecológicas e o já conhecido plantio direto, que além de colaborar com o meio ambiente, garante a produtividade.

Fonte: Secom

Por: Redação

Tags: Meio Ambiente, Naturatins, Tocantins