Estado

O Conselho de Administração do Igeprev - Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins, em reunião extraordinária realizada na sexta-feira,18, na sede do instituto, aprovou a nova política de investimentos para 2008. O documento estabelece as diretrizes das aplicações dos recursos do órgão que vão garantir o pagamento de aposentadorias e pensões, além do equilíbrio econômico-financeiro e atual do regime. A nova política de investimentos está embasada na Resolução 3.506, de 26 de outubro de 2007, do Conselho Monetário Nacional, a qual estabelece os critérios de aplicações dos recursos por parte dos regimes próprios de previdência dos estados, municípios e Distrito Federal.

De acordo com o presidente do Igeprev, Joel Rodrigues Milhomem, a Resolução 3.506, que veio substituir a Resolução 3244, trouxe algumas mudanças. Uma delas é que na hora de aplicar os recursos devem ser observadas, não só as condições de segurança, rentabilidade, solvência e liquidez, mas também a transparência. Este último item foi acrescentado. A Resolução também torna obrigatório que cada instituto de previdência estabeleça sua política de investimentos anual, informando o modelo de gestão a ser adotado, os critérios de contratação das instituições financeiras, a estratégia de alocação dos recursos e os limites utilizados para investimentos em títulos.

Os institutos de previdência poderão investir, tanto em renda fixa, como variável e imóveis, desde que seja condomínio de imóveis, mas o documento precisa ser aprovado pelo órgão superior, no caso do Igeprev é o Conselho de Administração. “Desde o ano passado o Igeprev já realizava sua política de investimentos, agora, com a Resolução 3.506 nós adequamos a política de investimentos para 2008 conforme as regras estabelecidas”, explicou Joel Milhomem.

Quanto aos limites para aplicação dos recursos, a grande novidade é que a Resolução 3.506 ampliou de 20% para até 30% os limites de aplicações em renda variável. Segundo Joel Milhomem, em 2007 a renda variável e a gestão própria foram as principais responsáveis pela rentabilidade do patrimônio do instituto de 19,40%, superando em 69,14% a meta atuarial, que é o INPC+6% ao ano que ficou acumulado em 11,47%.

Vale ressaltar que em 2007, o Igeprev aplicou somente 19,41% dos recursos em renda variável, os demais 80,59% foram aplicados em renda fixa. Para 2008 as projeções são de queda dos indicadores econômicos (PIB, Ibovespa, IPCA, INPC, IGP-M, SELIC, CDI). Diante deste cenário, a nova política aprovada buscou o caminho pela modalidade de gestão mista, a fim de garantir a rentabilidade dos recursos e o equilíbrio atuarial do regime. O Conselho aprovou os tetos de limites permitidos em lei para cada modalidade de investimento, seja no segmento de renda fixa como renda variável. O órgão voltará a aplicar recursos na gestão própria, tendo sido aprovado o limite de até 30%, conforme permite a Resolução.

 

Fonte: Secom

Por: Redação

Tags: Estado, Igeprev, Joel Rodrigues Milhomem