Campo

Foto: Costa Vicentina

A caracterização dos riscos climáticos para o cultivo do girassol no sistema de produção de agroenergia será tema de palestra de técnicos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), durante o Show Rural Coopavel, entre 28 de janeiro e 1º de fevereiro, em Cascavel (PR).

O girassol é uma das opções para produção de biocombustível, porque apresenta elevado teor de óleo nos grãos (38% a 53%) e seu cultivo se adapta às diversas regiões do País.

Na opinião do pesquisador da Embrapa César de Castro, com o zoneamento climático para a cultura em 2007, disponível do site www.agritempo.gov.br, foi possível delimitar as áreas e épocas de semeadura com maior aptidão climática para o desenvolvimento da cultura do girassol.

“O zoneamento é um aliado do produtor, pois permite escolher a melhor época de cultivo - apropriado para cada região - considerando o risco hídrico”, explica Castro.

Atualmente, o girassol ocupa cerca de 100 mil hectares no País. No Cerrado é uma opção preferencial como segundo cultivo no verão. Além da produção de biocombustível, o girassol tem potencial para atender os mercados de óleos comestíveis nobres, confeitaria, alimentação de pássaros, produção de silagem, farelo e torta para alimentação animal, produção ornamental e de mel, com possibilidade de exportação de grãos e óleo.

Fonte: Embrapa

Por: redação

Tags: Biocombustíveis, campo