Economia

Foto: Luciano Ribeiro Lançamento da segunda etapa da vacinação Lançamento da segunda etapa da vacinação

Segundo dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior o estado do Tocantins e estado do Amazonas tiveram queda no volume de exportações no ano passado.

Dos estados do norte os destaques ficaram por conta de Rondônia que aumentou no ano passado suas vendas em 48,19% em relação a 2006, exportando R$ 457 milhões contra R$ 308 milhões. O outro destaque foi o estado do Pará, que exportou mais 18% (R$ 7 bilhões contra R$ 6,7 bilhões em 2006). Amazonas com (-27%) e Tocantins com (-23,99%) tiveram decréscimo nas vendas externas e foram as decepções.

Segundo Iapurê Olsen, Diretor de Atração e Fomento da Secretaria da indústria e Comércio do Tocantins, como o estado tem sua produção centrada na agricultura e pecuária e o foco principal é a exportação de carne e soja, três fatores contribuíram para esta queda: a relação cambial; valorização do real frente ao dólar, neste caso os produtos tocantinenses ficaram menos competitivos; a baixa da cotação da saca de soja no mercado internacional e por fim a questão do foco de aftosa na fronteira do Matogrosso do Sul com o Paraguai, este caso levou a Rússia, grande comprador de carne do Brasil, a rever as importações dos estados do centro-oeste e norte.

No caso da carne embora o Tocantins tenha deixado de exportar, o estado não deixou de incrementar sua produção, que segundo Olsen, cresce a cada ano. “A carne que deixou de ser exportada foi distribuída na economia nacional e absorvida pelo mercado interno”, afirmou.

Se para Tocantins e Amazonas as coisas não foram bem no comércio internacional, por outro lado o estado que apresentou a maior alta percentual nas suas vendas externas foi Sergipe que liderou o crescimento das exportações brasileiras no ano passado. O estado vendeu R$ 144 milhões para o exterior, 83,23% a mais que em 2006.

Nos demais estados do Nordeste, o Maranhão vem em segundo lugar, com crescimento de vendas de 27%, seguido do Piauí com 20% e do Ceará com 19%.

No Sudeste, o estado de São Paulo vendeu R$ 51,7 bilhões no ano passado, contra R$ 46 bilhões em 2006, com crescimento de 14%. Minas Gerais exportou R$ 18,3 bilhões, contra R$ 15,6 bilhões (mais 12,11%). O Rio de Janeiro ficou com R$ 14,3 bilhões, contra R$ 11,4 bilhões (8,33%) e o Espírito Santo R$ 6,8 bilhões contra R$ 6,7 bilhões em 2006.

No Sul, o Rio Grande do Sul exportou R$ 15 bilhões no ano passado, contra R$ 11,8 bilhões em 2006, com crescimento de 27,25%. O Paraná registrou vendas de R$ 12,3 bilhões, contra R$ 10 bilhões em 2006 e Santa Catarina vendeu R$ 7,3 bilhões contra R$ 5,9 bilhões em 2006, elevação de 23%.

No Centro-Oeste, Goiás exportou mais 52% no ano passado em comparação a 2006, com vendas de R$ 3,1 bilhões. Em seguida, vêm Mato Grosso do Sul (crescimento de 29%), Distrito Federal (23%) e Mato Grosso (18,4%).

Os dados do ministério revelam que, dos US$ 160,6 bilhões exportados no ano passado, a Região Sudeste contribuiu com 56,8% do total, seguido do Sul (21,6%), Nordeste (8,15%), Norte (6,11%) e Centro-Oeste (6%).

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior estima ainda que, no ano passado, tenham sido exportados R$ 2 bilhões em produtos não-declarados ao sistema de comércio. Esse número cresceu 4,07% em relação a 2006, quando as vendas não integradas às estatísticas da balança comercial ficaram em R$ 1,950 bilhão.

Da redação com informações Agência Brasil

Por: redação

Tags: Economia, Soja, Tocantins