Campo

Foto: Divulgação

Com a proposta de incentivar a produção de caju anão-precoce o Governo do Estado, por meio do Ruraltins - Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins realiza, nesta semana a entrega de 4.400 mudas de cajueiro anão para os escritórios regionais de Araguatins, Araguaína, Gurupi, Porto Nacional e Taguatinga.

A idéia segundo a gerente de fruticultura do Ruraltins, Milene Mendonça, é a de implantar 19 UD’s - Unidades Demonstrativas de cajueiro anão, com área de um hectare cada, que servirão para a qualificação profissional de agricultores familiares no cultivo da frutífera. As mudas das variedades CCP-76 e CCP-09 são originárias do Piauí e estão certificadas pelo Ministério da Agricultura.

De acordo com a gerente, o ideal para o plantio seria de outubro a novembro, quando o período chuvoso se inicia, por isso as mudas deverão ser plantadas imediatamente. Segundo ela o atraso ocorreu devido demora no processo de licitação.

Segundo Milene, o Tocantins tem grande potencial para a produção de caju. Ela explica que o cajueiro não precisa de irrigação e nem exige solos muito férteis, o que qualifica a cultura como ideal para a agricultura familiar. Além da alta demanda pela castanha de caju, o produtor pode ainda agregar valor ao pseudofruto, transformando-o em suco, doces e geléia.

O Ruraltins pretende realizar também um estudo da demanda pela castanha de caju e, de acordo com os resultados, orientar os produtores para a instalação de uma pequena indústria de processamento de castanha de caju. “A idéia é agregar valor à produção e viabilizar a comercialização”, disse a gerente. Outra previsão é a utilizar as UD’s para demonstrar que é viável criar carneiros na mesma área plantada com cajueiros.

Fonte: Secom

Por: redação

Tags: Tocantins, campo