Economia

Foto: Elson Caldas

A Ferrovia Norte-Sul estará concluída até o final de 2009 e entrará em operação comercial em 2010, no trecho de Açailândia(MA) a Anápolis(GO), passando pelo território tocantinense. Já o lançamento da Plataforma Multimodal de Palmas/Porto Nacional será feita num prazo de 15 a 20 dias. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 28, pelo presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S/A, José Francisco das Neves, na solenidade de abertura do seminário ‘O Estado do Tocantins e a Ferrovia Norte-Sul’, ocorrido às 10h, no Palácio Araguaia, com a presença do governador Marcelo Miranda (PMDB), do secretário da Indústria e Comércio, Eudoro Pedroza, e do gerente geral da Ferrovia Norte-Sul, Eduardo Junger Caleia.

José Francisco das Neves (Juquinha) salientou que a viabilização da construção da ferrovia se deve, em grande parte, ao potencial do Estado do Tocantins. O seminário, segundo o presidente da Valec, é o primeiro resultado da parceria entre a empresa e o governo do Estado e representa o esforço para que a FNS seja um instrumento de transformação da realidade econômica e social de toda uma região. Também vai melhorar a infra-estrutura de transporte para o escoamento da produção tocantinense, estimulando a implantação de pólos industriais.

O presidente da Valec também revelou que será construída a Ferrovia Leste-Oeste, que vai partir de Ilhéus(BA) e chega até Alvorada, no Tocantins, com extensão até a Ferrovia Norte-Sul, em Uruaçu, partindo dali em direção ao Mato Grosso.

O governador Marcelo Miranda, tendo o presidente da Valec como interlocutor, agradeceu ao presidente Luís Inácio Lula da Silva(PT) pelo apoio à construção da Norte-Sul e ressaltou o papel da ferrovia como outra grande obra de integração nacional.

Para o governador, a ferrovia abre um novo cenário de oportunidades que abrange todos os 139 municípios do Estado, como projeto de desenvolvimento do cerrado brasileiro e de integração do Norte e Nordeste ao Sul e Sudeste do País. Marcelo Miranda lembrou que praticamente todos os municípios tocantinenses estão ligados por rodovias de fácil acesso às plataformas de carga que estão sendo construídas, seis delas no Tocantins.

Durante a solenidade o governador Marcelo Miranda assinou o decreto nº 3.306, criando a Comissão de Trabalho e Elaboração do Programa de Desenvolvimento Regional, presidida pelo secretário da Indústria e Comércio, Eudoro Pedroza. Essa comissão vai coordenar ações e oferecer subsídios para a criação de projetos estratégicos na região de influência da Ferrovia. Também fazem parte da comissão as secretarias da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Infra-Estrutura, Fazenda, o Gabinete do Governador e o Dertins - Departamento de Estradas de Rodagens do Tocantins.

O secretário da Habitação e Desenvolvimento Urbano, Aleandro Lacerda, apresentou o projeto de macrozoneamento na região de Luzimangues, que vai sediar a maior das plataformas multimodais da ferrovia. Os estudos contemplam os loteamentos já existentes, a estrutura atual e a projetada com a expansão exigida pelo pátio da ferrovia. A área zoneada é de 26 milhões de metros quadrados, com potencial de ocupação de 150 mil pessoas num prazo de 10 anos na região prioritária de ocupação.

Ao abrir o seminário Eudoro Pedroza lembrou que a ferrovia possui uma área de influência de 1,8 milhão de quilômetros quadrados, o que corresponde a 21% do território brasileiro com potencial tão expressivo que vai requerer medidas de grande alcance para aproveitar o impacto da obra na sua área de influência. O objetivo é gerar projetos “que vão tirar da inércia quase um terço do território nacional, colocando o Tocantins como centro de uma das maiores transformações nas atividades agrícolas e industriais do País”, destacou.

Segundo o secretário, a Valec está passando para o Estado a administração das seis plataformas multimodais (Aguiarnpólis, Araguaína, Colinas, Guaraí, Palmas/Porto Nacional e Gurupi) no traçado da ferrovia dentro do Estado. Para viabilizar as atividades, o Estado solicitou a doação da estrutura dos canteiros de obras dos pátios multimodais. Eudoro Pedroza enfatiza que a tendência é de instalação de distritos e núcleos urbanos nessas áreas.

A empresa também acena com a construção de 24 indústrias de etanol e 10 de biodiesel ao longo da ferrovia, em pontos estratégicos. A empresa Andrade Gutierrez já mostrou interesse na administração dos projetos.

A comissão criada hoje vai centralizar estudos em cinco áreas, que foram os temas das mesas de negociação do seminário: biocombustíveis, qualificação profissionalizante, pólos industriais, infra-estrutura e logísticas de cargas.

Fonte: Secom

Por: redação

Tags: Economia