Polí­tica

Foto: Divulgação

A reunião que seria realizada na Assembléia Legislativa na tarde deste sábado, 21, entre integrantes do PMDB e o deputado e pré-candidato a prefeito de Palmas Eli Borges (PMDB) para que este retirasse seu nome em prol de uma coligação com a pré-candidata do DEM, Nilmar Ruiz, sequer aconteceu. Borges esta aquartelado desde ontem e não tem comparecido às reuniões as quais tem sido convocado.

Eli mantém sua intenção inicial e vai para a convenção neste domingo, 22, confiante nos compromissos selados que lhe dão maioria dos 76 votos do diretório. O irmão e assessor de Eli, Joel Borges, disse ao Conexão Tocantins, que Eli “não é homem de voltar atrás” e portanto não desiste do pleito.

Os convencionais do partido poderão votar, entretanto, por ter ou não candidato próprio nas eleições de outubro. Neste caso a escolha seria pelo “Não” e Eli seria retirado de cena, abrindo espaço para que o governador Marcelo Miranda (PMDB) declare seu apoio à candidata do DEM já na próxima semana, uma vez que a demora no lançamento do nome que representará a Aliança da Vitória só fragiliza Nilmar.

Joel Borges disse também, há pouco, que acredita que os compromissos serão mantidos e Eli terá a maioria dos votos, mesmo que o partido escolha por fazer tal consulta na convenção deste domingo.

Outra possibilidade para impedir Eli Borges, é o partido esvaziar a convenção, mas neste caso, pelo estatuto do partido, Eli precisará apenas, que 20% dos convencionais compareça e vote a seu favor para a escolha ser ratificada.

 Atualizada às 22:30

Compareceram à Assembléia na tarde deste sábado o ex-deputado estadual José Augusto Pugliese, o presidente da Assembléia, Carlos Gaguim, o deputado estadual Iderval Silva, o presidente regional do partido, deputado federal Osvaldo Reis, e o secretário estadual de Governo, Manoel Bueno.

Nesta outra reunião independente da que aconteceria com Eli Borges, foi combinada a estratégia de votação para a convenção de amanhã.

Umberto Salvador Coelho