Campo

A indústria sucroalcooleira vai esmagar 558,72 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2008. De acordo com o segundo levantamento feito pela Conab, a quantidade é recorde, ou 11,4% superior ao volume processado no ano passado, que foi de 501,54 milhões de t. O resultado foi anunciado nesta quinta-feira, 4, pelo presidente da estatal, Wagner Rossi, durante a XVI Feira Internacional da Indústria Sucroalcooleira (Fenasucro), em Sertãozinho/SP.

Somadas as 151,56 milhões de t que serão colhidas no próximo período e destinadas atualmente à fabricação de rapadura, cachaça, ração animal e mudas, esta safra já se consolida como a maior da história do Brasil, com produção total de 710,28 milhões de t. “Esse crescimento é registrado, principalmente, pela ampliação do plantio por cerca de 35 novas usinas e o aumento da produtividade obtido com as boas condições climáticas”, explica Rossi.

A área cultivada passou de 7,08 milhões para 8,98 milhões de hectares, expansão que se deu basicamente em áreas degradadas. "Dos 276 milhões de ha de terras cultiváveis no país, 72% são ocupados por pastagens naturais/cultivadas, 15,5% por grãos e apenas 3,2% por cana-de-açúcar. O restante está com culturas perenes, como frutas e café”, informa.

Do volume apresentado, 317,82 milhões de t serão destinadas à fabricação de álcool etílico (etanol), o que significa 17,29% a mais que em 2007. Isso vai gerar 27,08 bilhões de litros do combustível, sendo 63,76% de álcool hidratado (vendido nos postos) e o restante de álcool anidro (misturado à gasolina). Já a fabricação de açúcar vai consumir 240,89 milhões de t de cana, crescimento de 4,48% e resultará em 32,78 milhões de t do produto.

Regiões - O Centro-Sul responde por 487,38 milhões de t da cana que vai para o setor sucroalcooleiro. Isso corresponde a 87,23% do total que será industrializado. São Paulo segue como o estado mais importante, com 325,61 milhões de t (58,28%), seguido do Paraná com 47,01 milhões de t (8,41%).

Já o Norte/Nordeste destinará 71,33 milhões de t para a indústria. A colheita na região começou em agosto e segue até março. O destaque destas localidades é Alagoas, com a quarta maior fabricação de açúcar e álcool do país, onde serão esmagadas 30,19 milhões de t de cana. Para realizar o trabalho, mais de 50 técnicos da estatal visitaram 388 unidades, entre os dias 28 de julho e 8 de agosto. Eles entrevistaram representantes de usinas, entidades de classe, associações e cooperativas.

Consumo interno de etanol será 50% maior em 2011

A Conab também divulgou o estudo “O etanol como um novo combustível universal”. O trabalho, inédito, faz projeções do mercado até 2011. “A demanda interna pelo produto deve saltar de 16,47 bilhões de litros no ano passado para 24,78 bilhões de litros em 2011, ou seja, um incremento de 50,46%”, diz o analista responsável pela pesquisa, Ângelo Bressan.

As exportações também seguem em ritmo de crescimento. Até o final de 2008 serão enviados a outros países 4,17 bilhões de litros, ou 18,21% a mais que os 3,53 bilhões de litros de 2007. Já em 2011 as exportações devem chegar a 6,10 bilhões de litros, um aumento de 72,85% sobre o resultado do ano passado.

Segundo a análise, essa mudança reflete a opção de indústrias, produtores, governo e consumidores por uma matriz energética limpa. “Após quatro safras positivas, a frota de veículos em circulação no país, movidos exclusivamente à gasolina, caiu de 45% para 8%”, diz Bressan.

 

 Fonte: Conab

Por: Redação

Tags: Cana-de-Açúcar, Etanol, campo