Campo

Foto: Madson Maranhão

A construção da Ceasa - Central de Abastecimento de Hortifrutigranjeiros de Palmas, prevista para ser inaugurada no início de 2009, impulsiona os agricultores familiares da Região Geoeconômica de Palmas para o aumento da produção. Neste sentido, a Seagro - Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o Ruraltins - Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins estão disponibilizando maquinários, calcário e orientações técnicas para as associações de agricultores do entorno da Capital.

Neste primeiro momento, os recursos beneficiam os agricultores familiares da região geoeconômica de Palmas, perfazendo um total de 850 famílias. Na segunda etapa, o serviço logístico e capacitação técnica se estendem também para as comunidades que fazem parte do cinturão verde do município da Capital.

Os preparativos para o plantio iniciaram nas comunidades da Prata, atendendo 90 agricultores e 50 pessoas na comunidade São João II, ambos pertencem ao município de Porto Nacional. Essas comunidades possuem forte ligação socioeconômica com Palmas.

O atendimento é realizado por meio de associações que assinam um termo de cooperação para realização dos trabalhos técnicos e mecanizados nas propriedades.

Em seguida, o serviço mecanizado atenderá os agricultores nas regiões de Luzimangues, Vão do Lajeado, Buritirana, entre outras.

O diretor de Desenvolvimento Rural Tecnológico da Seagro, Ricardo Pires destaca que o incentivo da produção no entorno de Palmas é, principalmente, para dar oportunidade aos agricultores fornecerem produtos hortifrutigranjeiros à Ceasa de Palmas. “O governo do Estado, por meio da Seagro está disponibilizando horas máquinas, calcário e apóio logístico aos agricultores familiares”, garantiu.

Entusiasmado com os incentivos, o presidente da associação São João II, Valdo B. Coutinho apóia a iniciativa do governo do Estado “Essa é uma ação muito importante para nós pequenos produtores, pois nunca tivemos esse benefício. Acredito que vamos dar um salto na nossa produção. A nossa meta é plantar produtos variados para atender a demanda da Ceasa”, projetou Coutinho lembrando que “o serviço de atendimento na zona rural chegou na hora certa”.

Empregos

Com o serviço de preparo do solo para o plantio, muitos empregos são gerados na região. Estão envolvidos 11 tratores, pás carregadoras e oito caminhões caçambas para transportar o material até o destino. Além de proporcionar a geração de renda com o plantio, condução e colheita dos produtos hortifrutigranjeiros.

 

Fonte: Seagro