Geral

Foto: Divulgação
  • Jalapão - Frederick Borges - Dunas
  • Jalapão - Luciano Ribeiro - Cachoeira da Velha
  • Parque do Cantão, região de transição do bioma amazônico para o cerrado
  • Foto - skyscrapercity.com
  • Foto - skyscrapercity.com
  • Foto - skyscrapercity.com
  • Foto - skyscrapercity.com

O Governador do Tocantins Marcelo Miranda (PMDB) disse, em entrevista exclusiva ao site Amazônia.org, que o estado deve continuar na Amazônia Legal, apesar de ter quase a totalidade de seu território no bioma Cerrado.

Também ressaltou a importância do desenvolvimento econômico aliado à preservação ambiental. "Temos a preocupação de preservar o patrimônio natural e incentivar o crescimento econômico do Estado".

 

Confira a entrevista

Amazônia.org - Quais são os principais desafios do governo do Tocantins com relação ao meio ambiente?

Marcelo Miranda - O Estado tem a grande responsabilidade de conciliar desenvolvimento econômico com preservação ambiental. Nosso maior desafio é crescer economicamente com desenvolvimento sustentável.Temos a preocupação de preservar o patrimônio natural e incentivar o crescimento econômico do Estado, investindo em estratégias e políticas públicas voltadas para um modelo de desenvolvimento aliado à preservação ambiental. O Estado tem uma área agricultável de cerca de 28 milhões de hectares de terras disponíveis. Metade desse total é reserva legal. Restam pouco mais de 13 milhões de hectares para a produção.

Amazônia.org - Para 2009, quais são as principais ações que o seu governo fará na área? Por quê?

Marcelo Miranda - Com relação à produção de biocombustíveis, temos um cenário muito promissor. Com o biodiesel, são duas usinas em plena operação no Estado (a Brasil Ecodiesel e a Biotins S.A.); já com a produção de etanol, estamos realizando a rota do álcool, com a meta de utilizar as áreas de pastagens degradadas para produzir matéria-prima para cerca de 24 usinas de etanol, no período de 10 anos. Aprovamos em 2008, a Lei nº 16/2008, de Mudanças Climáticas, Conservação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Tocantins. Com esta lei, o Tocantins se torna o segundo Estado brasileiro a ter legislação de proteção ambiental. O primeiro é o Amazonas. A lei é uma decisão do Estado do Tocantins em contribuir voluntariamente para estabilizar a concentração de gases de efeito estufa nos setores florestal, energético, industrial, de transporte, saneamento básico, construção, mineração, pesqueiro, agrícola ou agroindustrial, dentre outros.

Amazônia.org - Qual sua opinião sobre a hidrelétrica de estreito?

Marcelo Miranda - A Usina Hidrelétrica de Estreito é mais uma das grandes obras do governo do presidente Lula, fomentadora de desenvolvimento e de mais progresso para o país. Ganha o Tocantins, Maranhão e todo o Brasil. Mais do que os empregos que a obra gera, é importante destacar o trabalho desenvolvido para reduzir seus impactos ambientais, pois atrás de qualquer grande obra está o cidadão, que merece ter assegurada uma boa qualidade de vida.

Amzônia.org - Apesar de fazer parte dos estados que compõem a Amazônia Legal, o Tocantins não possui quase vegetação do bioma amazônico. Assim sendo, você defende a permanência do TO dentro da Amazônia Legal?

Marcelo Miranda - Quase que a totalidade territorial do Tocantins é bioma Cerrado, mesmo assim, sou favorável à permanência do Estado na Amazônia Legal.

 

Fonte: Amazônia.org