Estado

A desembargadora Willamara Leila de Almeida assume a presidência do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO) neste domingo, 1º de fevereiro. Willamara deixa a presidência do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), cargo que ocupa desde julho de 2008, para conduzir o poder judiciário pelos próximos dois anos. Ela irá suceder o desembargador Daniel Negry, que presidiu a Corte no biênio 2007/2009.

Na mesma sessão, o desembargador Carlos Luiz de Souza toma posse como vice- presidente e o desembargador Bernardino Lima Luz assume o cargo de corregedor-geral da Justiça. A solenidade está marcada para às 14h30, na sala de sessões do Tribunal Pleno, na sede do Tribunal de Justiça, em Palmas.

Perfis

Willamara Leila de Almeida é natural de Goiânia (GO). Formou-se em Direito pela Faculdade Católica de Goiás, exerceu a advocacia e posteriormente ingressou na magistratura. Antes da criação do Estado do Tocantins foi juíza em Guaraí por sete anos e depois de instalado o novo Estado, foi nomeada para ser a primeira juíza da capital provisória, Miracema. Integrou a primeira composição do TRE como juíza, e ascendeu ao cargo de desembargadora em 1998. Foi corregedora-geral da Justiça e eleita por unanimidade para a presidência do TJTO.

Carlos Luiz de Souza é natural de Capinópolis (MG), formou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Uberlândia e exerceu a advocacia por 12 anos antes de entrar para a magistratura no Estado de Goiás. Foi juiz em Paranã, Minaçu e Miracema do Norte onde permaneceu até a criação do Tocantins. Instalado o novo Estado foi nomeado desembargador em 1989. Foi vice-presidente e corregedor do TRE-TO, vice-presidente do Tribunal de Justiça, presidente do Tribunal de Justiça, corregedor-geral da Justiça, presidente do TRE-TO. Eleito para a vice-presidência do Tribunal de Justiça.

Bernardino Lima Luz nasceu em Santana do Araguaia-PA, formou-se em Direito pela Faculdade Anhanguera de Goiânia e ingressou na magistratura goiana em 1982. Foi juiz em Paranaiguara, Miracema do Norte e Porto Nacional. Optou pelo Tocantins, por ocasião da criação do Estado, e em 1991 foi removido para Palmas quando da sua instalação. Concedeu a primeira liminar de desapropriação para a instalação da nova capital. Foi diretor do Fórum de Palmas por duas vezes, juiz corregedor junto à Corregedoria-Geral da Justiça, juiz eleitoral em várias comarcas, juiz membro do TRE-TO e empossado no cargo de desembargador do TJTO em 7 de agosto de 2008. Eleito para a Corregedoria-Geral da Justiça.

Fonte: Site do Tribunal de justiça