Estado

Foto: Umberto Salvador Coelho Deputado afirmou que o número de recursos, alegando irregularidades, está batendo o recorde Deputado afirmou que o número de recursos, alegando irregularidades, está batendo o recorde

O deputado estadual Marcelo Lelis (PV) apresentou, em caráter de urgência, um requerimento para a realização de uma diligência/auditoria na organização do concurso público para o quadro geral do Estado, realizado no último final de semana, entretanto, o documento foi recusado pela maioria dos deputados.

Lelis queria que a Comissão de Administração, Trabalho, Defesa do Consumidor, Transporte, Desenvolvimento Urbano e Serviço Público da Assembléia, da qual ele é membro titular, fizesse uma inspeção junto à comissão do concurso da Unitins, instituição que realizou o certame.

O deputado comentou, na sessão de ontem, quinta-feira, 19, que vem recebendo, diariamente, em seu gabinete, candidatos que apontam falhas e manifestam insatisfação, especialmente quanto à elaboração das provas. O deputado acrescentou que o número de recursos, alegando irregularidades, já está batendo o recorde. “Por isso, é importante essa visita à Unitins. Precisamos pedir esclarecimentos, analisar os recursos e até propor alternativas, cumprindo nosso papel de representantes do povo”, ressaltou Lelis.

Já a líder do governo, deputada Josi Nunes (PMDB), informou que todas as denúncias já foram analisadas pelo Ministério Público, que o governo fez um trabalho isento e rigoroso.

Josi justificou a rejeição do requerimento do deputado Marcelo Lelis (PV), "Todos os concorrentes tem até às 18h (de ontem, quinta-feira) para protocolarem seus recursos. Está no Edital e será obedecido, isso é Democracia", frisou Josi.

A deputada esclareceu que somente a criação de uma comissão especial poderia atuar neste caso, ainda assim, a Mesa Diretora da Assembléia Legislativa deveria ser notificada oficialmente, fato que não ocorreu.

Josi Nunes ainda recebeu manifestações de apoio dos deputados Iderval Silva (PMDB), Toinho Andrade (DEM) e Eli Borges (PMDB).

O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Carlos Gaguim (PMDB), também garantiu a segurança do certame. Ele disse que desta vez, práticas antigas como a de indicação de candidatos a serem aprovados pelos parlamentares foi abolida.