Campo

Foto: Iranilde Gonçalves

Os governos, federal e estadual promovem a 3ª Conferência de Aquicultura e Pesca. O evento que teve inicio ontem, segue nesta sexta-feira, 19, das 8h às 18h, no auditório ”Cuica”, na UFT - Universidade Federal do Tocantins, com a participação de aproximadamente 300 piscicultores e pescadores artesanais de 36 municípios do Estado.

Com o objetivo de consolidar uma política pública de estado para o desenvolvimento sustentável da aquicultura e pesca, os participantes discutem diversas ações voltadas para o fortalecimento do setor pesqueiro. Entre os principais estão: inclusão social, estruturação da cadeia produtiva, mercados interno, sustentabilidade ambiental, formação profissional e políticas de crédito.

Durante abertura oficial do evento, o presidente do Ruraltins - Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins, Sebastião Pelizari Junior, que representou o governador Marcelo Miranda, destacou a importância da piscicultura para a economia do Estado. “ O setor da piscicultura tem um papel fundamental para o desenvolvimento do Tocantins, temos um grande potencial hídrico e precisamos aproveitá-lo melhor”, disse Pelizari, que aproveitou a ocasião para reivindicar do subsecretário da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, José Claudenor Vermohlen, melhorias para o atendimento aos pescadores artesanais assistidos pelo Ruraltins. Entre as reivindicações está, barcos para atender as comunidades ribeirinhas, reivindicação aceita pelo subsecretário, que sinalizou o apoio desde que recebesse um projeto técnico.

De acordo com o gerente de aquicultura e pesca do Ruralntins, Confúcio da Silva Guedes, o órgão apóia as associações de pescadores, deste o incentivo por meio da assistência técnica, acesso às linhas de crédito, elaboração de projetos até a implantação dos tanques, chegando a comercialização do produto final. “A nossa participação nesta conferência objetiva informar sobre os processos para implantação da piscicultura de forma adequada e coordenar os grupos de trabalhos que irão levantar propostas e elaborar um documento, que fará parte das discussões da Conferência Nacional, em Brasília, entre os dias 30 de setembro a 2 de outubro”, comenta Guedes.

Fonte: Secom