Geral

Por meio de nota a deputada federal Nilmar Ruiz (DEM) parabenizou nesta quarta-feira, 22, a decisão do governo do Estado e da Unitins que se recusou assinar o Termo de Saneamento junto ao MEC que previa medidas para sanar os problemas acadêmicos que resultaram na abertura do processo de descredenciamento da instituição publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União.

Nilmar disse que Termo de Ajuste de Conduta da forma como está colocado é uma sentença de morte para os cursos de Educação a Distância da Instituição.

Confira a nota

NOTA: DEPUTADA FEDERAL NILMAR RUIZ

TAC É UMA SENTENÇA DE MORTE PARA OS CURSOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNITINS

Quero parabenizar a decisão do Governo do Estado e da Unitins em não aceitar as imposições descabidas do Ministério da Educação (MEC), vinculando o recredenciamento dos cursos a distância da Unitins/Eadcon à assinatura do Termo de Ajuste de Conduta (TAC).

O Termo de Ajuste de Conduta da forma como está é uma sentença de morte para os cursos de Educação a Distância da Unitins/Eadcon, assim como deixa os quase 100 mil alunos espalhados em todo o Brasil a mercê de transferências para outras instituições.

O Ministério da Educação questiona o modelo público/privado da Unitins. Porém, o Brasil caminha para que a Parceria Público Privada (PPP) seja o grande fator de desenvolvimento do país.

Não se percebe que o sucesso que tivemos no aumento da escolaridade do nosso povo e no acesso da nossa população a cursos superiores é resultado, justamente, dessa parceria.

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) aponta que a taxa de desistência dos cursos a distância gratuitos chega a 70% enquanto que nos cursos pagos a desistência é de apenas 5%.

Só quem conhece o Tocantins e sabe das dificuldades de quem mora nas pequenas cidades do interior do Brasil pode valorizar a Unitins e avaliar o que representa um curso superior a distância.

O apoio do MEC é fundamental para que se melhore cada vez mais a qualidade do ensino nas universidades brasileiras é fundamental para que se amplie o acesso ao curso superior. Hoje, menos de 13% da população tem nível superior.

A decisão do Governo do Estado em não aceitar a imposição e pressão do MEC, demonstra o seu compromisso com o Estado do Tocantins e com os milhares de alunos que vêm na Unitins a oportunidade de um futuro melhor.

Por: Redação

Tags: MEC, Nilmar Ruiz, Tocantins, Unitins