Geral

Apenas cinco dos 25 bebês que ocupam os leitos da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e UI (Unidade Intensiva) do Hospital Dona Regina podem ser alimentados por meio do Banco de Leite Humano. Para que pelo menos os 10 pacientes mais graves, da UTI Neonatal, recebam o leite materno é necessário um aumento de 100% no volume coletado por mês, que gira em torno de 70 litros.

Este foi um dos assuntos destacados na manhã desta segunda-feira, 3, pela nutricionista Walkíria Sousa Pinheiro dos Santos, coordenadora do Banco de Leite Humano, durante a palestra “A importância dos bombeiros no cenário da amamentação – o projeto Bombeiro Amigo do Peito”. Na ocasião, os novos integrantes da Corporação, os alunos do Curso de Formação de Soldados, tiveram a oportunidade de conhecer o projeto e as atribuições do Banco de Leite.

O público-alvo do Banco de Leite são os bebês prematuros e aqueles que nasceram com alguma doença e não podem ser alimentados pelas próprias mães. “Os bebês são muito frágeis e necessitam do leite humano para viver”, destaca a coordenadora, citando que o leite em pó (de vaca) pode agravar os problemas e até mesmo levá-los à morte.

Processo

O leite é doado por mães que estão amamentando. A coleta é feita após as mamadas do próprio filho, aos poucos, até que o recipiente esteja cheio. No Banco de Leite, a doação passa por um controle de qualidade e processo de pasteurização antes de ser utilizado.

Amigo do Peito

Desde maio de 2003, a Corporação participa do Banco de Leite Humano, por meio do projeto Bombeiro Amigo do Peito. Os bombeiros incentivam o aleitamento materno, realizando palestras e orientações, fazem visitas às parturientes internadas no Dona Regina e são responsáveis pela coleta das doações nas residências. O volume arrecadado tem aumentado gradativamente. Em 2006, a Corporação disponibilizou um motorista exclusivo para as coletas e há dois anos o projeto recebeu uma viatura própria. Os números demonstram a importância das ações realizadas. Se comparado a 2006, em 2008 foram coletados 150 litros a mais, totalizando 736 litros. “Mas ainda é pouco. Precisamos aumentar a quantidade das doações”, frisa Walkíria.

Mais de 3,4 mil litros de leite já foram coletados pelo Bombeiro Amigo do Peito, beneficiando 3.568 bebês. O trabalho só pode ser realizado graças ao apoio e sensibilidade das voluntárias, que colaboram espontaneamente com o projeto. Nestes seis anos, 5.198 mães doaram leite para o projeto. Até o momento, os bombeiros realizaram 6,9 mil visitas domiciliares.

Reaproveitamento

Além das mães, a sociedade em geral pode ser parceira do Banco de Leite. Outra forma de colaborar é doando potes de vidro com tampa de plástico (tipo café solúvel e maionese), que são necessários para a coleta e armazenamento do leite humano. Além de evitar que se tornem lixo, os vidros serão reaproveitados várias vezes para conduzir o alimento que ajuda a salvar a vida dos bebês. Para volumes de 20 ou mais unidades, os bombeiros buscam na casa ou empresa. Basta ligar para o telefone 0800 – 646 – 8283. Mobilize os seus vizinhos ou colegas da empresa/órgão público.

Semana Internacional

A palestra é uma das ações da 13ª Semana Internacional de Amamentação, que vai até o dia 7 de agosto. Na quarta-feira, 5, haverá uma sessão especial de cinema para as mães – A Cinematerna, na Sala Sinhozinho (Espaço Cultural), às 15h.

Fonte: Assessoria de Imprensa