Geral

Foto: Fernando Alves

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira, 11, em Palmas, os prefeitos das cidades integrantes do Consórcio Intermunicipal do Lago – Cometo, apresentaram as diversas dificuldades enfrentadas nas cidades impactadas.

O relatório é resultado de uma vistoria realizada pelo Consórcio, que aponta que o principal problema enfrentado pelos municípios é a inundação de suas praias, margens e povoados. Esse aumento do nível da água levou à construção de praias artificiais e remanejamento de famílias para assentamentos, muitas vezes desestruturados para recebê-las. O prejuízo econômico também foi grande para aqueles que dependiam da pesca e do turismo, como é o caso do município de Lajeado e Porto Nacional.

Além de incentivos, com a estruturação do Polo e do cumprimento dos Planos Básicos Ambientais (PBAs), o Cometo deve fortalecer a gestão do Lago da Usina, com a discussão e o planejamento de ações que visem à exploração e o desenvolvimento sustentável dos municípios banhados pelo Lago, a exemplo da pesca e do turismo.

Polo de Confecções

Outro ponto da reunião foi a apresentação do potencial produtivo da Capital no setor de confecções, visando abranger as cidades impactadas pelo lago de Lajeado. O Grupo Gestor do Pólo de Confecções apresentou, aos participantes da reunião da Cometo, os detalhes do projeto e os mecanismos para o abastecimento do Polo em suas cidades.

A prefeita de Brejinho de Nazaré, Miyuki Hyashida, avalia de maneira positiva o reforço produtivo das cidades atingidas, como forma de suprir a carência econômica e desenvolver políticas de incentivo ao setor. "Estamos entusiasmados com a possibilidade de gerar emprego e renda através de um Pólo de Confecções. Temos uma grande vocação na área, inclusive uma associação de 25 famílias, que há mais de 15 anos lutam por melhores oportunidades", pontuou a prefeita.

Quem também vê com otimismo a idéia de fortalecer o segmento têxtil nas cidades impactadas é a prefeita de Lajeado, Márcia Reis. "Lajeado precisa de projetos como este para amenizar a crise", completou.

Para o prefeito Raul Filho, "a abrangência do Polo de Confecções de Palmas, nas cidades impactadas, reforça a missão do projeto em levar emprego e renda a quem realmente precisa". Para ele, todas as sete cidades do Cometo possuem vocação e estrutura para fortalecer a cadeia produtiva do Polo.

Já a vice-prefeita de Palmas, Edna Agnolin, acredita que a união das cidades propiciará, ao projeto, uma extensa e qualificada linha de produção capaz de abastecer não só o mercado tocantinense, mas os Estados vizinhos.

Alem da prefeita da prefeita de Brejinho de Nazaré, Miyuki Hyashida, e de Lajeado, Márcia Reis, estiveram presentes na reunião a prefeita de Porto Nacional, Tereza Martins, de Tocantínia, Manoel Silvino e representantes dos municípios de Ipueiras, Miracema, Naturatins, Ibama e Ministério da Pesca.

Fonte: Ascop