Geral

Promover o nivelamento e a integração entre as empresas e instituições responsáveis pela execução dos programas ambientais da Usina Hidrelétrica Estreito, do meio físico biótico. Esse é um dos objetivos do 1º Workshop de Gestão dos Programas Ambientais do Aproveitamento Hidrelétrico Estreito, a ser realizado pelo Consórcio Estreito Energia (Ceste), concessionário do empreendimento, nesta quinta e sexta-feira, dias 13 e 14, no auditório da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins), em Palmas (TO).

O evento deverá reunir cerca de 70 participantes, entre palestrantes, pesquisadores, parceiros, representantes do Consórcio e das empresas acionistas. A abertura oficial do workshop está marcada para as 8h30, na quinta-feira, 13, e será feita pelo diretor de Saúde, Segurança e Meio Ambiente do Ceste, Dimas Maintinguer, pela reitora da Unitins, Jucylene Maria de Castro Santos Borba Dias, e pelo pró-reitor, Roberto Antônio Penedo do Amaral.

Na programação do Workshop, serão apresentados os balanços dos programas ambientais, com os resultados já obtidos, bem como as próximas ações a serem desenvolvidas. Além de questões técnicas, também serão discutidos assuntos das áreas técnico-operacionais e socioambientais. “A ideia é possibilitar o maior fluxo de informações e troca de experiências entre os participantes”, explica Dimas Maintinguer, diretor de Saúde, Segurança e Meio Ambiente do Ceste.

De acordo com o gerente de Planejamento e Controle Estratégico do Consórcio, Marcos Duarte, coordenador do evento, outro objetivo a ser alcançado é integrar informações dos diversos programas ambientais em execução para subsidiar uma pesquisa científica do meio físico que resultará na edição de um livro com os conhecimentos adquiridos na área de abrangência da Usina de Estreito. “A previsão é publicar esse livro até o segundo semestre de 2010. Ou seja, vamos levar conhecimento para a região, além da energia ”, ressalta Marcos Duarte acrescentando ainda que, em parceria com a Unitins, o Ceste promoveu um curso de modelagem hidrodinâmica da vazão do rio Tocantins a jusante da barragem de Estreito.

PBA da UHE Estreito – O Projeto Básico Ambiental da Usina de Estreito, aprovado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), contempla 39 programas ambientais, divididos nos meios físico, biótico e sócio-econômico. Dos 39 programas, 20 são voltados para estudos de clima, solo, fauna, água, vegetação, dos quais se destacam os Programas de Monitoramento Climatológico, Monitoramento Hidrogeológico, Monitoramento da Ictiofauna (estudos de peixes), Monitoramento da Fauna Terrestre, entre outros, que são executados nas diversas fases de instalação da Usina de Estreito, com objetivo de minimizar, prevenir e compensar interferências ambientais.

Para a execução dos programas ambientais, o Ceste privilegia pesquisadores e instituições de ensino da região como, por exemplo, a Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) e a Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Só a Unitins é responsável por sete programas ambientais da UHE Estreito.

Fonte: Assessoria de Imprensa UHE Estreito

 

Por: Redação

Tags: CESTE, UHE Estreito, Unitins