Geral

Foto: Divulgação Rosimar Mendes, Delúbio Soares, Donizeti Nogueira e José Roque Rosimar Mendes, Delúbio Soares, Donizeti Nogueira e José Roque

O lançamento da revista “Companheiro Delúbio” que aconteceu na noite desta quinta-feira, 03, no Hotel Vitória Plaza, em Palmas, foi marcado pela presença da militância petista, retrospectiva da formação dos movimentos sociais no Tocantins e discurso emocionado. O evento terminou se tornando um ato de desagravo ao ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares.

A petista e Coordenadora da Mulher, Direitos Humanos e Equidade (Comudhe) da Prefeitura de Palmas, Rosimar Mendes, lembrou das vezes que Delúbio esteve no Tocantins, contribuindo para a formação dos movimentos sociais no Estado. Ela ressaltou a tolerância do ex-tesoureiro, por aguentar a falta de percepção dos próprios petistas para entender o contexto em que se deu as denúncias contra ele e a execração pública que lhe submeteu a grande mídia, por ocasião do escândalo do mensalão. Rosimar se emocionou ao lembrar que, com tudo isto, Delúbio permaneceu fiel aos seus princípios sem abandonar os projetos na área social.

O presidente estadual do PT, Donizeti Nogueira, disse que o lançamento da revista - que tem na capa inclusive a estrela vermelha - se tratava de um evento inusitado, “temos um companheiro petista de alma e coração que não está filiado ao PT”, afirmou o dirigente - Delúbio foi expulso do partido após o escândalo do mensalão.

Este ano, no mês de março, o ex-tesoureiro solicitou sua reintegração ao partido, mas não obteve sucesso. Reportagem da Agência Estado do dia 2 de agosto dá conta que a tendência é Delúbio filiar-se ao PT do B. Segundo a matéria ele chegou a sondar o PMDB, mas foi informado de que o partido não deverá aceitá-lo, visto que não se dá com o diretório municipal de Buriti Alegre, cidade onde tem domicílio eleitoral. A intenção dele é sair candidato a deputado federal.

Donizeti Nogueira também afirmou durante o evento, que o PT está cometendo uma injustiça contra Delúbio e convocou os petistas para se indignar contra a situação e trazê-lo de volta. Para ele, o ex-tesoureiro do partido foi vítima do sistema político-eleitoral. Donizeti defendeu como em outras oportunidades a reforma da legislação eleitoral

Outro que defendeu Delúbio foi o prefeito de Colinas do Tocantins, José Santana. Ele lembrou a década de 80, quando o então sindicalista Delúbio esteve no município ajudando a construir o PT e o movimento sindical na área da educação. Segundo ele, Delúbio é uma figura que ajuda a construir a resistência contra aqueles que só querem explorar os mais necessitados. Ele convocou a militância a enfrentar "aqueles que ouviram o que se falava" do ex-tesoureiro.

Compreensão da Esquerda

Em seu pronunciamento Delúbio afirmou que qualquer posição que venha a tomar, quer a compreensão da esquerda brasileira. Sobre o escândalo do mensalão, ele afirmou que foi extremamente investigado pela Polícia Federal, Polícia Civil e Ministério Público “e não acharam nada, o que fiz foi pagar contas de campanha dos companheiros do PT e de aliados do partido”, disse.

Segundo Delúbio, ele ocupava no PT uma responsabilidade política e administrativa “que quando foi preciso eu assumir a responsabilidade eu assumi”, disse. Delúbio afirma que foi acusado de corrupção ativa, formação de quadrilha, peculato, falsidade ideológica e gestão temerária, mas já se livrou das acusações em dois dos processos “e tenho certeza que vou ganhar os outros”, ressaltou.

Donizete Nogueira deputado federal

Delúbio também disse durante o evento que espera ser colega de Donizeti Nogueira na Câmara Federal. Ele defendeu o nome do dirigente que também é secretário de Orçamento Participativo da capital tocantinense, como o candidato preferencial dos petistas a deputado federal. Para ele Donizete já faz as vezes de um deputado federal, pois não sai de Brasília em busca de recursos para a capital e mesmo para cidades do interior.

Delúbio Soares de Castro

(Buriti Alegre, 6 de novembro de 1955) ficou conhecido nacionalmente como o tesoureiro do Partido dos Trabalhadores. Esteve no centro de graves denúncias de corrupção, após a detonação do escândalo do mensalão. Delúbio é formado em Matemática pela Universidade Católica de Goiás. Trabalhou como professor nos colégios Bandeirantes, José de Alencar, Ateneu Dom Bosco e Lyceu de Goiânia (até 1984). Antes de ser o tesoureiro do PT, Delúbio foi também sindicalista e tesoureiro nacional da CUT. Foi coordenador das campanhas presidenciais de Luiz Inácio Lula da Silva em 1989 e 1998. Passou a ser o tesoureiro do PT em 2000. (informações Wikipédia)

(Umberto Salvador Coelho)