Geral

Foto: Divulgação

Para a preservação da biodiversidade do cerrado tocantinense o Naturatins – Instituto Natureza do Tocantins desenvolve diversas ações voltadas para a proteção, conservação e monitoramento de espécies que na sua maioria estão entre os animais que sofrem sérios riscos de extinção. O trabalho mais recente é o Projeto de Monitoramento e Proteção do lobo guará (Chrysocyon brachyurus) e o levantamento faunístico do PEL - Parque Estadual do Lajeado. Segundo o cronograma, uma das ações de monitoramento acontece nesta quarta-feira, 9, a partir das 10h, no parque PEL, unidade de Conservação localizada no entorno da Serra do Lajeado, a 25 quilômetros da Capital.

O projeto é desenvolvimento pela Coarp/Naturatins – Coordenadoria de Áreas Protegidas e tem por finalidade realizar o monitoramento em longo prazo da população de lobo-guará no Parque Estadual do Lajeado, e identificar as principais ameaças à sua conservação. Já o levantamento faunístico é uma atualização de dados sobre as espécies encontradas na UC.

Conduzidas pelos biólogos, Simone Matos e Marlon Freitas e o tecnólogo em Gestão ambiental, Guilherme Silva, as primeiras ações do projeto iniciaram no final do mês de maio, com a aplicação de um questionário aos chacareiros sobre os conflitos entre a presença do animal e as atividades dos produtores da região. Ao todo foram visitadas 15 propriedades, onde foi constada apenas uma situação entre o lobo e a criação de galinhas.

Segundo a bióloga Simone Matos, “a iniciativa desse projeto surgiu devido à necessidade de se promover uma ação, mesmo que a longo prazo, que garanta a preservação do lobo guará, animal que vem sofrendo ameaça de extinção inclusive por ações do homem”, afirmou.

Após esse levantamento a equipe deu início aos trabalhos de proteção e monitoramento. Semanalmente, os técnicos desenvolvem atividades como a marcação de lobeiras (Solanum lycocarpum) árvore da região que, por frutificar durante todo o ano, é alimento fundamental da dieta desse animal e serve ainda como vermífugo natural contra complicações renais no lobo guará; observam e coletam materiais deixados pelo lobo-guará para análises laboratoriais; realizam rondas diurna e noturna com farol de milha para observação direta desses e de outros animais bem como coleta de pegadas através de molde em gesso.

Para o levantamento faunístico, também incluso na ação, os técnicos responsáveis informaram que durante as rondas, os animais mais visualizados foram lobo-guará, raposa (Lycalopex vetulus), lobinho (Cerdocyon thous), anta (Tapirus terrestris), veado (Mazama), caititu (Tayassu tajacu), além de dezenas de aves tais como a ema (Rhea americana), seriema (Cariama cristata) mãe da lua (Nyctibius griseus) e bacurau tesoura (Hydropsalis torquata). Por meio do molde de pegadas em gesso também foi identificado, o mão-pelada (Procyon cancrivoro), também conhecido como guaxinim.

Projetos

Dentre os projetos desenvolvidos pelo Naturatins para a proteção da fauna e flora do Tocantins pode-se destacar também o monitoramento e o manejo de espécies como a tartaruga-da-amazônia (Podocnemis expansa), tracajás (Podocnemis unifilis), o pato-mergulhão (Mergus octosetaceus), capim dourado (Singhnantus nitens) e o buriti (Mauritia flexuosa), e ainda desenvolve em época de seca operação Peixe Vivo, ação que consiste na transferência de peixes que estão em locais com baixo nível de água para outros com maior vazão hídrica.

Fonte: Ascom Naturatins