Geral

Foto: Divulgação Desvio do Rio Tocantins pelo vertedouro da UHE Estreito é concluído Desvio do Rio Tocantins pelo vertedouro da UHE Estreito é concluído

A Usina Hidrelétrica Estreito, uma das maiores obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do Governo Federal, concluiu na última semana o desvio do Rio Tocantins. O evento acontece antes do período de chuvas do final do ano, garantindo assim o cumprimento do cronograma para a entrada em operação comercial em outubro de 2010. A UHE Estreito terá capacidade instalada de 1.087 MW e está a cargo do Consórcio Estreito Energia - Ceste, formado pelas empresas GDF SUEZ, VALE, ALCOA e CAMARGO CORRÊA.

A barragem da Usina Hidrelétrica Estreito, que será construída no leito do rio após seu desvio, terá 480 metros de comprimento e 60 metros de altura máxima e nela serão empregados cerca de 2.2 milhões de m³ de enrocamento (maciço composto por blocos de rocha) e argila compactados.

O Rio Tocantins está sendo desviado por seis vãos rebaixados dos 14 que compõem o vertedouro da usina, cujas obras civis foram concluídas no tempo recorde de 10 meses. Nelas, foram utilizados 450 mil m³ de concreto, suficientes para construir seis estádios do porte do Maracanã.

Paralelamente aos trabalhos realizados no canteiro, ocorrem os serviços de aquisição de propriedades e remanejamento da população, além da realocação da infraestrutura na área do futuro reservatório da UHE Estreito, que engloba a construção e alteamento de pontes, relocação de linhas de transmissão, construção de estradas e atracadouros, entre outras obras.

A previsão é que o enchimento do reservatório seja iniciado em julho de 2010 e em outubro do mesmo ano se inicie a operação comercial do primeiro dos oito grupos turbo-geradores de energia. A UHE Estreito deve estar em pleno funcionamento até o final de 2011.

Durante a fase de implantação do empreendimento, estão sendo gerados cerca de 10 mil empregos diretos e 25 mil empregos indiretos, totalizando 35 mil postos de trabalho. A UHE Estreito tem priorizado a contratação da mão-de-obra local. Atualmente, 80% dos trabalhadores são dos estados do Maranhão e Tocantins.

Localização 

A Usina de Estreito está localizada ao norte do Tocantins e sudoeste do Maranhão. O barramento estará situado entre os municípios de Palmeiras do Tocantins e Aguiarnópolis (TO) e Estreito (MA). Em Estreito, será instalada a casa de máquinas ou de força, onde se dará a geração de energia elétrica.

Os municípios da área de influência direta da UHE Estreito, que considera não só o local da barragem como também o respectivo reservatório, são: Carolina e Estreito, no Maranhão; Aguiarnópolis, Babaçulândia, Barra do Ouro, Darcinópolis, Filadélfia, Goiatins, Itapiratrins, Palmeirante, Palmeiras do Tocantins e Tupiratins, no Estado de Tocantins, totalizando 12 municípios.

Números

- Início das obras: 15 de fevereiro de 2007

- Custo do empreendimento: cerca de R$ 3,6 bilhões

- Potência instalada da usina (capacidade nominal instalada): 1.087 MW

- Energia assegurada: 641,1 MW médios

- Área do reservatório: 440 km2, excluindo a calha do rio

- Extensão do reservatório: 290 km

- 8 unidades geradoras Kaplan, de 135,87 MW

- Barragem de enrocamento com núcleo de argila, com 480m de comprimento e altura máxima de 60m

- Data do início de enchimento do reservatório: julho de 2010

- Data do início da operação comercial da primeira turbina: outubro de 2010.

- Compensação financeira pela utilização de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica aos estados e municípios que terão área alagada pela formação do reservatório da UHE Estreito: cerca de R$ 20 milhões anuais.

- Recursos sobre geração de impostos sobre os investimentos em obras civis e montagem/fornecimento de equipamentos durante a construção da barragem: cerca de R$ 329 milhões.

- Recursos sobre geração de impostos após a construção da barragem: cerca de R$ 170 milhões/ano

- Localização: a 130 km da cidade de Imperatriz (MA) e 513 km da cidade de Palmas (TO). Acesso ao canteiro de obras pela Rodovia Belém – Brasília.

Consórcio Estreito Energia 

Participação no Consórcio Estreito Energia (CESTE) – concessionária da UHE Estreito: GDF Suez Energy (40,07%), Vale (30%), Alcoa (25,49%) e Camargo Corrêa Energia (4,44%). O CESTE é detentor da concessão para uso de bem público para a construção e operação da UHE Estreito, conforme resultado do Leilão da ANEEL nº 01/2002, realizado no dia 12 de julho de 2002.

Fonte: Assessoria de Imprensa UHE Estreito