Estado

Foto: Esequias Araújo

O governador do Tocantins, Carlos Henrique Gaguim, recebeu a confirmação do presidente da Valec Engenharia, José Francisco das Neves (Juquinha), de que as obras da Ferrovia Norte-Sul que passam pela região sul do Tocantins vão acontecer em ritmo acelerado. A garantia foi dada na manhã deste sábado, 24, em Gurupi, durante o lançamento do trecho de 212 quilômetros da obra entre os municípios de Fátima e Alvorada. A conclusão da estrada de ferro está prevista para dezembro de 2010 - data da possível inauguração da Ferrovia.

“Nós estávamos com problemas. A obra não estava andando devido a problemas administrativos com o Tribunal de Contas, que já foram resolvidos. Daqui para frente a obra vai andar com toda a velocidade”, adiantou Juquinha. De acordo com ele, para a conclusão do trecho entre os municípios de Fátima e Alvorada serão investidos mais de R$ 700 milhões. Serão gerados cerca de 3 mil empregos diretos e 10 mil indiretos.

A Norte-Sul irá contribuir diretamente com a industrialização do Tocantins, onde serão construídos 860 quilômetros de trilhos de ferro. Enquanto visitava o canteiro de obras da Ferrovia e o Pátio Multimodal em Gurupi, Carlos Gaguim disse que o papel do Governo do Estado será feito com seriedade e eficiência. “Essa obra vai ajudar muito o nosso Estado e o Brasil. Vamos trabalhar para colocar o Tocantins em destaque no cenário mundial como um Estado para se investir e referência de qualidade de vida”, ressaltou o governador.

“Daqui a alguns anos nós vamos poder ver o grande desenvolvimento que a Norte-Sul trouxe para a nossa região. É o progresso que está chegando”, afirmou o prefeito de Gurupi, Alexandre Abdalla, destacando que sua intenção é de continuar trabalhando em parceria com o Governo do Estado.

Milhares de pessoas se reuniram no Parque de Exposições de Gurupi, onde ficaram sabendo de detalhes da construção do empreendimento. O governador percorreu todo o local e conversou com a comunidade. Carlos Gaguim também esteve acompanhado do senador João Ribeiro, deputados, prefeitos, vereadores e secretários de Estado.

Fonte: Secom