Geral

Os vencedores da região Norte do Prêmio FINEP de Inovação 2009 serão conhecidos nesta quinta-feira, 19, às 19h, em cerimônia no auditório do Palácio Araguaia. Participam do evento o presidente em exercício da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins – FIETO, Roberto Magno Martins; o superintendente do IEL, Carlos Wagno Milhomem; o vice-governador do estado, Eduardo Machado Silva; a secretária da Ciência e Tecnologia, Maria Fernanda Varanda Carneiro; e o secretário da Indústria e Comércio, João Telmo Valduga. A chefe de Gabinete da Presidência da FINEP, Maria Aparecida Neves, representará a Financiadora. A FIETO e o IEL Tocantins são parceiros da FINEP na organização do Prêmio FINEP na Região Norte.

Ao todo são seis as categorias: Micro/Pequena Empresa, Média Empresa, Grande Empresa (esta só em nível nacional), Instituição de Ciência e Tecnologia, Tecnologia Social e Inventor Inovador (apenas para candidatos com patente depositada no INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial e efetiva comercialização de suas criações nos últimos três anos). Os primeiros colocados na região concorrem ao Prêmio Nacional, que acontece em 8 de dezembro, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

Do total de 11 selecionados na Região, o destaque em 2009 vai para o estado do Amazonas, com sete propostas classificadas. Pará tem dois representantes entre os concorrentes: a Universidade Federal do Pará, na categoria Tecnologia Social e a PPV Informática Ltda, como Pequena Empresa. O Acre e Rondônia participam com um finalista cada. Do total de 72 inscritos no Norte, o Tocantins participou com cinco propostas, tendo ainda assim figurado como o quarto estado da região com maior número de candidatos.

Os vencedores nas etapas regionais e nacional dividirão R$ 29 milhões em financiamentos pré-aprovados pela FINEP. Desse total, R$ 9 milhões serão em recursos não reembolsáveis (que não precisam ser devolvidos) e até R$ 20 milhões em recursos reembolsáveis.

Norte recebeu R$ 400 milhões da FINEP

Nos últimos oito anos, a FINEP investiu cerca de R$ 400 milhões na região Norte. Foram 385 projetos apoiados, entre financiamentos não reembolsáveis (que não precisam ser devolvidos), incluindo a subvenção econômica, e operações de crédito, com juros subsidiados. Os maiores aportes foram para pesquisas realizadas por fundações, instituições de ciência e tecnologia e universidades, contempladas com 84% dos recursos. O estado do Tocantins, por exemplo, teve 21 projetos apoiados, com mais de R$ 18 milhões.

Veja os finalistas, em ordem alfabética, por categoria:

Instituição de Ciência e Tecnologia

Centro de Pesquisa Agroflorestal do Acre – Embrapa Acre – (AC)

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Amazônia Ocidental (AM)

Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Paulo dos Anjos Feitoza (AM)

Tecnologia Social

Centro de Estudos Superiores de Tefé da Universidade do Estado do Amazonas (AM)

Universidade do Estado do Amazonas (AM)

Universidade Federal do Pará (PA)

Pequena Empresa

FabriQ Informática (AM)

Indústria e Comércio de Oxigênio da Amazônia (RO)

PPV Informática Ltda (PA)

Média Empresa *

ORBISAT da Amazônia (AM)

Inventor Inovador *

Job Cruz de Pinho (AM)

* Na região Norte, neste ano, foi selecionado um finalista nas categorias Média Empresa e Inventor Inovador.

Saiba mais sobre os finalistas:

Centro de Pesquisa Agroflorestal do Acre – Embrapa Acre – (AC)

Unidade regional da Embrapa com diversos programas de pesquisa agroflorestais, com destaque nos últimos anos para treinamento em boas práticas para a produção, fomento da agricultura familiar, capacitação de varejistas e viveiristas, validação de tecnologias básicas de manejo, nutrição, sanidade e genética para produção de leite em pequenas propriedades, entre outros.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Amazônia Ocidental (AM)

Esta unidade da Embrapa atende a demandas dos mercados local e regional dentro do programa de agricultura familiar, principalmente com cultivos de mandioca e grãos. Em nível nacional, realiza pesquisas com fruteiras tropicais, dendê, seringueira, espécies florestais, guaraná e piscicultura. A unidade atual também no mercado internacional, com fomento à produção de sementes de dendê.

Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Paulo dos Anjos Feitoza (AM)

A Fundação trabalha com a geração de projetos de pesquisa e desenvolvimento de software e hardware, biodiversidade e biotecnologia, formação de recursos humanos e apoio a projetos sociais. Os profissionais que desenvolvem os projetos são especialistas em áreas como análise de sistemas, programação de computadores, engenharia e profissionais da área de ciências sociais.

Centro de Estudos Superiores de Tefé da Universidade do Estado do Amazonas (AM)

O Centro desenvolve o projeto ''Laboratório de comunicação livre''. Trata-se da combinação de atividades de ensino, pesquisa, extensão universitária e voluntariado juvenil para a valorização e emergência de grupos culturais segregados e a promoção do diálogo intercultural, tendo-se como elemento central a facilitação de processos de apropriação de tecnologias de informação e comunicação (TICs).

Universidade do Estado do Amazonas (AM)

Criada em 2001, a UEA tem seis unidades: Escola Normal Superior, Escola Superior de Artes e Turismo, Escola Superior de Ciências da Saúde, Escola Superior de Ciências Sociais, Escola Superior de Tecnologia e Centro de Estudos Superiores do Trópico Úmido. Destaca-se por oferecer, a distância, o curso Normal Superior para os municípios do interior do Estado (PROFORMAR), com a finalidade de capacitar os professores atuantes nestas localidades.

Universidade Federal do Pará (PA)

Criada em 1957, a universidade possui mais de 30 mil alunos nos 340 cursos de graduação que oferece nos campi de Belém, Abaetetuba, Altamira, Bragança, Castanhal, Cametá, Capanema, Marabá, Marajó e Santarém. Vários grupos de pesquisa fazem parte dos quadros da UFPA. Dentre as áreas de pesquisa mais destacadas encontram-se a genética, as geociências e as neurociências.

FabriQ Informática (AM)

A FabriQ é uma fábrica de software pioneira no mercado da região Norte. A empresa conta com profissionais com experiência em criação de metodologias de desenvolvimento de sistemas e processos de software, e suporte de rede e de sistemas. A FabriQ também oferece consultoria para empresas do setor.

Indústria e Comércio de Oxigênio da Amazônia (RO)

Sediada em Porto velho, a O2 Amazônia é uma empresa especializada em usinas geradoras de oxigênio e ar medicinal, com alto nível de automação e tecnologia totalmente digitalizadas, atendendo às normas nacionais e internacionais.

PPV Informática Ltda (PA)

O objetivo da empresa é inovar no desenvolvimento de softwares, sites, conteúdos, jogos, hardware, métodos e novas práticas musicais visando, a partir do ensino da música para crianças, promover a inclusão digital, musical e social. O projeto inclui também crianças com necessidades especiais, com uso de teclados específicos.

ORBISAT da Amazônia (AM)

A OrbiSat é uma empresa de base tecnológica, especializada em sensoriamento remoto, produtos eletrônicos de consumo e soluções para a área de defesa. Possui unidade industrial em Manaus (AM) e centros tecnológicos e comerciais em Campinas (SP) e São José dos Campos (SP).

Job Cruz de Pinho (AM)

Job desenvolveu o ‘microfone ecológico’ para a empresa Alô Som da Amazônia. O produto utiliza, em sua configuração, resíduos de madeira, partes feitas com o anel de vedação de garrafas PET e por caroço de tucumã seco. O produto tem grande importância para a redução do impacto ambiental, reduzindo a disposição de lixo no aterro sanitário controlado da cidade de Manaus.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fieto