Geral

A grande maioria (75,45%) dos classificados no Vestibular 2010-1 da Universidade Federal do Tocantins (UFT) reside no próprio estado, tem renda familiar de até cinco salários mínimos (73,6%) e estudou o Ensino Médio integralmente em escola pública (69,16%). É o que revelam dados referentes ao perfil dos candidatos, divulgado na tarde desta terça-feira pela Comissão Permanente de Seleção (Copese) da UFT.

De acordo com os dados da Copese, o perfil no qual se encaixa a maioria dos classificados neste vestibular é muito similar ao do ano passado. O levantamento toma por base os dados informados pelo próprio candidato no ato da inscrição ao processo seletivo. O reitor da UFT, Alan Barbiero, diz que os números são importantes para ratificar o papel da UFT na região Norte do País. "A partir desses dados, vemos a UFT cumprir, mais uma vez, seu papel como forte vetor de desenvolvimento regional e inclusão social", destaca Barbiero.

Este foi o primeiro ano que a UFT trabalhou com o vestibular semestral, separando as vagas do primeiro e do segundo semestre. O processo recebeu um número recorde de inscrições para um só período. Foram 16.365 inscritos – mais que o dobro do último concurso, no qual a quantidade de candidatos buscando uma vaga no primeiro semestre foi de 7.819.

Os dados revelam que o aprovado mais velho tem 61 anos, e deverá cursar Engenharia Florestal; em contrapartida, o mais novo aprovado da UFT tem 15 anos e passou para Ciências da Computação. Outro dado divulgado ressalta que 36,6% dos classificados concluíram o Ensino Médio este ano; 40,9% entre 2005 e 2008; e 22,5% concluíram o estudos secundários antes de 2005. Os números apontam ainda que 63,21% dos classificados não trabalha; 15,92% trabalha de 21 a 30 horas semanais; 11,41% de 31 a 40 horas semanais; e 9,44% labora mais de 40 horas por semana.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação UFT

Por: Redação

Tags: Alan Barbiero, Copese, UFT, Vestibular