Geral

Foto: Clayton Cristus

A garantia dos benefícios dos servidores remanescentes de Goiás em atividade e a instalação de uma comissão de estudos para analisar o retorno dos profissionais para o Instituto de Previdência do Estado do Tocantins – Igeprev - foram alguns assuntos abordados na sessão desta quinta-feira, dia 17. O assunto já foi discutido anteriormente, inclusive sendo o teor de requerimentos de autoria dos deputados José Viana (PSC) e Josi Nunes (PMDB), respectivamente, aprovados ontem, quarta-feira.

As discussões sobre o tema foram acompanhadas por dezenas de servidores que demonstraram satisfação em receber o apoio dos deputados. “A atitude da Casa de Leis é fundamental para o resgate da dignidade dos trabalhadores que abraçaram esse Estado e abriram caminho para os que chegaram depois”, comentou o presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (Sindifiscal), José Ronaldo dos Santos.

Durante a sessão, a deputada Josi Nunes anunciou a primeira reunião que vai tratar sobre a formação da comissão de estudos com os representantes da categoria. O grupo deve ter como foco principal a inclusão dos servidores no Igeprev e a intenção é agilizar todo o processo para que os pedidos da classe sejam atendidos.

“Atualmente, são inúmeros os benefícios que esses servidores deixam de receber por se aposentarem pelo INSS, como, por exemplo, o plano de saúde. A reivindicação desses homens e mulheres que deram o sangue para a instalação do Estado não é algo ilegal, pois eles querem apenas ter os mesmos direitos que os outros servidores públicos do Tocantins”, ressaltou Josi.

A situação dos servidores ativos remanescentes do Estado de Goiás não-efetivos, assim como a garantia de todos os benefícios previstos no Estatuto do Servidor Público do Estado do Tocantins foram mencionadas pelo deputado Raimundo Moreira (PSDB). Ele falou sobre a relevância da matéria e sugeriu a adequação da proposta, para que os benefícios também sejam concedidos para os funcionários aposentados que, segundo o parlamentar, não são contemplados nos requerimentos.

Fonte: Dicom/AL