Polí­tica

Foto: Divulgação

O prefeito de Colinas do Tocantins, José Santana Neto (PT), avaliou em entrevista concedida ao Conexão Tocantins por email, que os partidos da base do presidente Lula vão estar juntos no Tocantins na campanha da candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), mas na disputa estadual haverão divergências e composições com chapas adversárias do presidente Lula.

Santana ainda avalia que o governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) está cumprindo bem seu papel, apesar do curto espaço de tempo no governo, fato que o leva a acelerar as ações.

Opinando sobre a eleições deste ano, o prefeito de Colinas afirma que o governador Carlos Gaguim tem direito de ser candidato a governador, apesar de afirmar que não será. Segundo ele, as candidaturas ao governo do Estado apresentadas ainda encontram-se em fase de afirmação. “Todos os nomes apresentados são conhecidos portanto com chances de sucesso, depende das alianças, do plano de governo e de como será apresentado ao eleitor”, afirma Santana.

Santana também reafirmou na entrevista, o que havia prometido durante a campanha para prefeito do município em 2008; que não será candidato nas eleições deste ano. Durante o pleito em Colinas, adversários o acusaram de disputar a eleição visando conseguir trampolim para se candidatar a deputado a partir da prefeitura.

Veja a íntegra da entrevista

Conexão Tocantins - O senhor afirmou durante o período eleitoral que terminaria seu mandato e não seria candidato a deputado este ano? O senhor mantém esta posição?

José Santana - Não sou candidato nas eleições de 2010.

CT - Após completar 1 ano de administração quais foram os principais desafios enfrentados e quais serão as prioridades do senhor até o final do mandato?

JS - Os desafios foram reorganizar a máquina pública e alimentar a população de esperança em plena crise. As prioridades foram reorganizar a administração pública; promover o desenvolvimento; gerar emprego e renda; garantir direitos sociais; buscar excelência na educação

CT - A prefeitura de Colinas foi afetada pela queda no repasse do FPM em 2009 em que proporção? Que medidas o senhor tomou para compensar as perdas?

JS - Houve diminuição em torno de 10% na receita. Diminuímos as despesas cortando gastos com custeio e pessoal, aprimoramos a arrecadação local.

CT - O que o governo do Estado pode fazer para ajudar os municípios a equilibrarem suas contas?

JS - Aprimorar a fiscalização na arrecadação de ICMS e IPVA para evitar sonegação.

CT - Qual a avaliação do senhor sobre administração do governador Carlos Gaguim?

JS - É um governo de transição que está cumprindo bem seu papel, tem pouco tempo, por isso procura acelerar nas ações.

CT - O governador Carlos Gaguim disse recentemente que a disputa pelo governo estadual será polarizada entre os candidatos que tiverem apoio de José Serra (PSDB) de um lado, e do presidente Lula do outro. O senhor concorda com este ponto de vista?

JS - A Presidência da República será o altar. Mas as cadeiras no Estado também terão disputas acirradas, inclusive as de senadores.

CT - O senador João Ribeiro que é pré-candidato ao governo do Estado reconhece que o governador Carlos Gaguim tem todo direito de buscar a reeleição. Qual a avaliação do senhor a respeito disto? O governador Gaguim seria um bom candidato dos partidos da base do presidente Lula?

JS - O governador Gaguim tem direito de ser candidato a governador, mas tem afirmado que prefere trabalhar forte na transição e fortalecer a candidatura do grupo. As candidaturas ao governo do Estado apresentadas ainda encontram-se em fase de afirmação. Todos os nomes apresentados são conhecidos portanto com chances de sucesso, depende das alianças, do plano de governo e de como será apresentado ao eleitor.

CT - Como é o relacionamento do senhor com o senador João Ribeiro?

JS - Somos amigos e mantemos uma relação institucional que tem sido interessante para o município de Colinas e para o PT no que cabe-me articular. Tem sido bom companheiro, embora sejamos de partidos políticos diferentes.

CT - E com o prefeito de Palmas, Raul Filho, que é do partido do senhor e que também lançou sua pré-candidatura ao governo, como é a relação?

JS - Somos amigos e companheiros de partido, trabalhamos na construção partidária de forma disciplinada e nos entendemos bem. Nos identificamos na luta por espaço político e na resistência quando éramos oposição.

CT - O PT aceitaria negociar a vaga de vice-governador na construção da chapa majoritária? Qual a avaliação do senhor como umas das principais lideranças do partido no Tocantins?

JS - Sobre esse assunto, quem fala é o Presidente do PT, Donizeti Nogueira.

CT - Na avaliação do senhor os partidos da base do presidente Lula vão marchar unidos no Tocantins ou as divergências podem atrapalhar?

JS - Vão estar juntos na campanha da companheira Dilma Rousseff, mas na disputa estadual haverão divergências e composições com chapas adversárias do presidente Lula.