Geral

Foto: Ises Oliveira

A doação da residência oficial do governador à Prefeitura de Palmas voltou ao debate na sessão desta terça-feira, dia 9. Um requerimento do deputado Marcello Lelis (PV) apresentado na semana passada, solicita ao Executivo que o imóvel, localizado na Quadra 112 Norte, na capital (ainda não concluído), seja mantido no domínio do Estado. Ou seja, o deputado pede que qualquer mudança na obra só aconteça para atender às necessidades do próprio Estado.

“Trata-se de uma residência oficial que não foi projetada para ser uma sede administrativa. O local da sede da Prefeitura de Palmas já foi planejado para o eixão. Essa doação, além de outros prejuízos financeiros, comprometeria até a logística de transporte para a população, uma vez que a residência oficial é afastada do centro da cidade”, disse.

A deputada Solange Duailibe (PT) discordou. Para ela, a doação da casa vai beneficiar a capital. “Quero esclarecer que a concessão foi proposta pelo governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) ao prefeito Raul Filho (PT). Não entendo o porque de tanto questionamento”, reclamou. Ela também voltou a defender a autonomia territorial da capital. “Precisamos resolver a questão, pois o município sempre depende da boa vontade do governo para realizar suas obras”, afirmou.

Outros parlamentares, como Paulo Roberto Ribeiro (PR), Stalin Bucar (PR) e José Viana (PSC), declararam-se favorável à proposta de Marcello Lelis, para que a obra seja concluída e permaneça em poder do Estado. “Se não for para ser uma residência oficial que seja destinada para atividades culturais ou sociais como uma biblioteca ou um espaço cultural”, sugeriu Lelis.

Fonte: Dicom/AL