Geral

Foto: Divulgação

A partir da próxima segunda-feira, 08, começa em todo o país a campanha nacional de enfrentamento contra a segunda onda pandêmica da Influenza A (H1N1), definida e divulgada no dia 26 de janeiro pelo MS – Ministério da Saúde. Os primeiros a receberem a nova vacina serão os trabalhadores da rede de atenção à saúde e os profissionais envolvidos na resposta à pandemia, a fim de garantir que os serviços de saúde permaneçam funcionando normalmente. Nesta primeira etapa, que vai até o dia 19 de março, será imunizada também toda a população indígena em suas próprias aldeias, trabalho que será desenvolvido pela Funasa – Fundação Nacional de Saúde, em parceria com a Sesau – Secretaria de Estado da Saúde e municípios.

Entre os trabalhadores de saúde estão todos os profissionais que atuam em hospitais, unidades básicas de saúde, pronto atendimento, ambulâncias e profissionais que atuam na investigação epidemiológica. Os trabalhadores deverão procurar um posto de saúde munido de contracheque e documento de identificação até o dia 19 para vacinação. Os locais de vacinação serão definidos e divulgados pelos municípios.

“O objetivo desta estratégia não é a vacinação em massa, mas sim reduzir drasticamente a circulação do vírus no país. Imunizando grupos prioritários ou de maior risco, pretendemos reduzir o número de casos graves e óbitos pela doença”, afirma a diretora de Vigilância Epidemiológica da Sesau, Perciliana Joaquina Bezerra de Carvalho. A diretora informa ainda que só no Tocantins deverão ser vacinadas cerca de 800 mil pessoas ao final de todas as etapas.

Fazem parte dos grupos prioritários as pessoas que têm o maior risco de desenvolver formas graves da doença e de morrer. Estes públicos foram definidos em parceria com representantes de sociedades científicas, estados e municípios e entidades de classe. Os critérios para definição levaram em conta as recomendações da OMS – Organização Mundial de Saúde, os dados epidemiológicos observados na primeira onda da pandemia no Brasil e a experiência dos países do Hemisfério Norte. A meta do MS é vacinar pelo menos 80% desse público.

A próxima etapa, que iniciará no dia 22 de março, imunizará gestantes, portadores de doenças crônicas (exceto idosos, que serão vacinados em outra etapa) e crianças de seis meses a dois anos. Vale ressaltar que a vacina é contra-indicada a quem tem alergia a ovo.

Além dos públicos já citados, essa estratégia de vacinação atenderá também adultos de 20 a 29 anos, idosos com 60 anos ou mais e pessoas de 30 a 39 anos.

Os municípios e cidadãos que tiverem alguma dúvida ou desejarem mais informações podem entrar em contato com a Coordenação de Imunizações da Sesau pelos telefones: 0800 63 1002 (ligação gratuita) / (63) 3218-1783/ (63) 3218-1784 ou pelo e-mail: imunizacao@saude.to.gov.br.

Fonte: Secom