Economia

Pesquisa nacional de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), divulgado pela CNC no último dia 25 de fevereiro mostra que o índice de consumo revelou que 68,6% das famílias palmenses consideram sua renda melhor este ano e 52,1% afirmaram que estão gastando mais do que no ano passado (crescimento de 143,2 em janeiro para 157,5 em fevereiro, uma escala de zero a 200 pontos – ou alta de 0,2%). Destes, 81,5% estão interessados em gastar com bens duráveis.

Um dos fatores que favorecem este índice é a segurança no emprego. Segundo a pesquisa, 67% dos entrevistados consideram seu atual emprego seguro, contra apenas 8,9% que acha pouco seguro e 7,3% que estão desempregados. Outro aspecto que colabora para o entusiasmo dos consumidores é o prazo com condições de pagamento. Enquanto 62,1% dizem que está mais fácil conseguir crédito ou empréstimo na hora das compras, apenas 11,2% acham que as condições de pagamento não ajudam o cliente a decidir a compra.

O ICF é um indicador antecedente com capacidade de medir a avaliação que os consumidores fazem sobre aspectos importantes da condição de vida de sua família. O presidente da Fecomércio Tocantins, Hugo de Carvalho, avalia a pesquisa como “uma ferramenta de impacto para o planejamento do comércio tocantinense, e que influenciará também em atividades produtivas de outros segmentos”.

Os resultados do ICF serão divulgados pela Fecomércio Tocantins a cada mês, e podem ser avaliados sob dois ângulos. O primeiro é o da magnitude do grau de satisfação e insatisfação dos consumidores, por meio de sua dimensão, já que o índice abaixo de 100 pontos indica uma percepção de insatisfação, enquanto acima de 100 (com limite de 200 pontos) indica o grau de satisfação em termos de seu emprego, renda e capacidade de consumo. O segundo ângulo é o da tendência desse grau de satisfação e insatisfação, por meio das variações mensais do ICF total.

A pesquisa foi realizada em fevereiro, na capital, no mínimo, 500 consumidores com idade acima de 18 anos foram entrevistados. Com este indicador, a Fecomércio Tocantins quer ajudar o comércio varejista do Estado a perceber a intenção de consumo das famílias, e o setor privado a avaliar seu planejamento de estoques e investimentos, assim, fortalecendo bons negócios para o comércio e boas compras para os consumidores.

Da redação com informações Assessoria de Imprensa Fecomércio

Por: Redação

Tags: Economia, Fecomércio, Hugo de Carvalho