Geral

Orientar gestantes sobre atendimentos emergenciais a crianças de até seis anos de idade. Este é o propósito do projeto de lei de autoria do deputado Paulo Roberto Ribeiro (PR) que dispõe sobre a obrigatoriedade de implantação de cursos para mulheres grávidas sobre procedimentos emergenciais em crianças dessa faixa etária, na rede hospitalar pública e privada do Estado. A proposta foi encaminhada para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação - CCJ - na sessão desta quarta-feira, dia 17, juntamente com duas matérias do parlamentar César Halum (PPS).

Para Paulo Roberto, a medida preventiva pretende esclarecer as mães a respeito de cuidados essenciais durante a gestação e com a criança nos primeiros anos de vida. A ideia é garantir saúde e desenvolvimento psicoemocional por meio da prevenção contra doenças e distúrbios comuns em gestantes e crianças recém-nascidas.

“A proposta é preparar as mães para salvaguardar a vida de seus filhos, assegurando a eles maior tranqüilidade e segurança durante sua criação e educação”, esclareceu o parlamentar.

Já a declaração do município de Filadélfia como Capital Tocantinense do Gesso e a concessão de título de cidadania para o pesquisador da Embrapa na Bahia, Aristóteles Pires de Matos, foram propostas pelo deputado César Halum.

De acordo com o parlamentar, a escolha de Filadélfia como Capital do Gesso se deve ao fato de o município ser o maior produtor de gesso do Tocantins e também por abastecer o mercado interno e externo. Halum enfatiza que a atividade vem movimentando a economia municipal, gerando empregos formais e atraindo a abertura de novos empreendimentos industriais e comerciais no setor.

Halum também destaca que o título de cidadão tocantinense a Aristóteles é em homenagem à contribuição do pesquisador com o desenvolvimento da abacaxicultura no Estado, por meio de cursos que ministrou no Tocantins entre os anos de 1993 a 1996. Segundo ele, Aristóteles coordenou ainda o projeto “Produção integrada do Abacaxi” no Estado em 2004.

Fonte: Dicom/AL