Geral

Foto: Divulgação

A Fecomércio reuniu nesta segunda-feira em sua sede, representantes de supermercados, comércio atacadista, associação e sindicato para discutir um acordo referente à abertura das empresas nos feriados. Os representantes do Makro, Extra, Atacadão, Assaí, além do Sindicato dos Empregados no Comércio no Estado do Tocantins (SECETO) e da Associação Tocantinense de Supermercados (ATOS) decidiram que as lojas deverão ficar fechadas nos dias 1º de janeiro (Confraternização Mundial), 1º de maio (dia do Trabalhador) e 25 de dezembro (Natal).

Após uma solicitação do Sindicato dos Empregados no Comércio no Estado do Tocantins, a Fecomércio realizou uma reunião com diversos representantes para discutir sobre os feriados. Mediado pelo presidente da Fecomércio, Hugo de Carvalho, foram levantados várias propostas e depois de muita negociação ficou decidido que as empresas sindicalizadas ao SIAPABE (Sindicato do Comércio Atacadista de Produtos Alimentícios e de Bebidas) e ao SIGEALTO (Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios) deverão fechar nos três dias acordados. Para os demais seguimentos prevalece o que foi convencionado na convenção coletiva.

Nos demais feriados, ficou definido que será facultativo a abertura dos estabelecimentos, desde que o proprietário, ou responsável, envie a relação dos funcionários que irão trabalhar para o sindicato laboral com no mínimo cinco dias de antecedência.

Para o presidente da ATOS, Osires Damaso, o acordo foi razoável. “Gostaria de abrir todos os dias do ano, mas como temos que ceder, acabamos fechando o acordo em três dias de feriado”, declarou. A presidente da SECETO, Adaneijela Dourado da Silva, também não ficou totalmente satisfeita com o acordo. “Não foi o que esperávamos, mas foi um avanço. Isso abre portas para que no futuro possamos negociar outros feriados”, disse.

Para o presidente da Fecomércio a discussão foi válida. “Nós reunimos representantes de várias empresas, associação e sindicato para chegar a um acordo e conseguimos. Nosso objetivo é o de fortalecer o comércio do Tocantins sem ferir as leis e a convenção coletiva. Tivemos êxito e o resultado da reunião foi um acordo que fica bem, tanto para os empresários, como para os trabalhadores. Acredito que todos saem ganhando, inclusive a sociedade que terá mais dias para poder fazer suas compras,” comentou.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fecomércio