Polí­tica

O ex-ministro da Casa Civil e membro do Diretório Nacional do PT, José Dirceu, participa nesta sexta-feira, 9, da abertura do 4º Congresso Estadual do PT, às 19 horas, na Assembleia Legislativa, em Palmas.

A palestra com o tema “Conjuntura política, econômica e social do Brasil” será proferida por José Dirceu para mais de 250 congressistas, além de 200 convidados e observadores que participam do 4º Congresso Estadual do PT. Além da palestra, acontecerá ainda a posse do novo Diretório Estadual 2010 -2013, que tem como presidente Donizeti Nogueira, eleito no último PED (2009).

Nos dias 10 e 11, sábado e domingo, o Congresso continua na Escola Municipal Henrique Talone, localizada na quadra 210 Sul (Arse 24), a partir de 8 horas. Na pauta, os congressistas discutirão sobre as eleições deste ano e a realização da próxima etapa de construção do Plano de Desenvolvimento Econômico e Social do PT Tocantins.

Desde fevereiro, o Plano está sendo construído em todo o Estado com ampla participação popular. Mais de 4 mil pessoas participaram dos seminários “Movimento Tocantins Forte”, realizados em Araguaína, Araguatins, Arraias, Dianópolis, Guaraí, Colinas, Santa Maria, Porto Nacional, Gurupi, Paraíso e Palmas.

José Dirceu

José Dirceu de Oliveira e Silva nasceu na cidade de Passa Quatro, Minas Gerais, em 16 de março de 1946. Formou-se em Direito, em 1983, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Participou ativamente da fundação do Partido dos Trabalhadores, em 1980. Em 1986 foi eleito deputado estadual em São Paulo. Em 1990 elegeu-se deputado federal e em 1994 candidatou-se ao governo de São Paulo, recebendo dois milhões de votos. Voltou a se eleger deputado federal em 1998 e 2002, quando foi o segundo mais votado do país, com 556.563 votos.

Em 1995 assumiu a presidência do PT, sendo reeleito por três vezes. Na última, em 2001, foi escolhido diretamente pelos filiados da legenda em um processo inédito no Brasil de eleições diretas para todas direções de um partido político. Ocupou a função até 2002, quando se licenciou para participar do governo do presidente Lula. Em janeiro de 2003, José Dirceu assumiu a cadeira de deputado federal, mas logo se licenciou para assumir a função de ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, permanecendo no cargo até junho de 2005, quando retornou à Câmara dos Deputados. Seu mandato foi cassado em dezembro do mesmo ano e teve a inelegibilidade decretada por oito anos.

Fonte: Assessoria de Imprensa PT