Geral

Durante a sessão da Assembleia Legislativa na tarde desta quarta-feira, 14, o deputado Osires Damaso (DEM), em seu discurso voltou a falar sobre a paralisação das obras de pavimentação da TO-239 que liga Itacajá a Tupiratins.

O democrata atacou o governo do Estado, destacando que “não se pode dizer que é normal o governo do Estado pegar dinheiro público e investir em uma obra que ainda nem começou”. Usando de palavras duras, o deputado afirmou que o governo estaria fazendo compras e contratando empresas com dispensa de licitação. “Isso cheira a corrupção, a falcatrua”, disparou.

A líder do governo na Casa, deputada Josi Nunes (PMDB) saiu em defesa do governador Carlos Henrique Gaguim e disse que ele fez diversas reuniões com seu secretariado e pediu que, caso se confirmem as acusações, que sejam investigadas “para garantir a legalidade do governo”.

Em seu discurso, a deputada apresentou um comunicado do vice-governador, Eduardo Machado (PDT). No documento, Machado afirmou que não queria interferir no voto dos deputados no requerimento pedindo explicações sobre as obras da estrada, “mas quero que aprovem esse requerimento para que o governo possa trabalhar com transparência e legalidade”, completou.

O deputado Raimundo Moreira (PSDB) destacou os poderes que o filho do vice-governador, Eduardo Machado Filho adquiriu na empresa responsável pela obra de pavimentação da estrada em Itacajá. De acordo com o documento apresentado pelo tucano ao plenário, Machado Filho teria o poder de “movimentar conta corrente e fazer retirada de talões de cheques”.

Moreira ainda ressaltou que o ideal seria que o filho de Eduardo Machado se afastasse da procuradoria da Contersa. “Não que seja totalmente ilegal, mas imoral, é”, destacou.