Polí­tica

Foto: Umberto Salvador Coelho

O evento da que confirmou a união entre o senador João Ribeiro (PR) e Siqueira Campos (PSDB) repercutiu na sessão matutina desta terça-feira, 27 na Assembleia Legislativa do Tocantins. Entre discursos inflamados, deputados da base do governo Carlos Henrique Gaguim (PMDB) e oposicionistas discorreram sobre a validade e representatividade do encontro.

O deputado Paulo Roberto Ribeiro (PR) questionou a presença de lideranças no auditório da Associação Tocantinense dos Municípios (ATM) local onde aconteceu o encontro entre as lideranças de direita no Estado. De acordo com o parlamentar, no local não estiveram presentes “nem 30% de prefeitos aliados”.

O deputado ainda ressaltou uma grande falta de coerência nos discursos por parte de tucanos, democratas e republicanos no que diz respeito a composição com o deputado federal João Oliveira (DEM), que é um dos nomes cotatos à vice-governadoria de Siqueira. De acordo com Paulo Roberto, durante reuniões na casa da senadora, Oliveira fazia piadas com o nome do ex-governador que hoje compõe aliança com o seu partido.

Paulo Roberto reforçou seu apoio ao governador Carlos Gaguim (PMDB) e afirmou não ter acompanhado a aliança com Siqueira Campos para não se vender. “Eu sou político e não prostituto”, exclamou.

Com palavras duras, o deputado criticou o discurso de Siqueira, dizendo que as falas do veterano político causaram “tristeza e ânsia de vômito”. O deputado não poupou críticas também ao marqueteiro da campanha de Siqueira Campos, ao classificá-lo como “mercenário que fabrica sonhos e não a realidade”.