Polí­tica

Uma das presenças marcantes na inauguração da sede da coordenação de pré-campanha do ex-governador Siqueira Campos (PSDB) na tarde desta segunda-feira, 17, foi a do ex-governador e deputado federal Moisés Avelino (PMDB).

Avelino, que é um dos principais nomes peemedebistas do Tocantins, tem declarado sistematicamente apoio à candidatura de Siqueira, opositor do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB), candidato de seu partido ao Palácio Araguaia nas eleições deste ano.

Moisés Avelino afirmou não temer represálias por parte do PMDB por demonstrar apoio ao ex-governador. Avelino afirmou que não sente pressão por parte de seu partido, pois a causa que defende, segundo ele, “é uma causa justa”.

O ex-governador do Tocantins não poupou críticas ao governo de Carlos Gaguim. Sem se aprofundar no conteúdo das críticas, Avelino se restringiu a afirmar: “vou fazer de tudo para que não continue o que está acontecendo com esse governo”.

Quando questionado sobre uma possível perda de legenda dentro do partido, Moisés Avelino mostrou confiança na importância de seu nome dentro do PMDB. O veterano afirmou que não tem medo de nada, “a não ser da morte”.

O peemedebista ainda completou dizendo que, caso seu partido tire sua legenda, ele subirá no palanque de Siqueira Campos, pois lá fará tudo do seu jeito. “Que moral tem o PMDB para tirar legenda de Moisés Avelino?” questionou em tom desafiador.