Geral

Como parte da programação do XX Congresso Brasileiro de Zootecnia – Zootec 2010, aconteceu na manhã desta quinta-feira, 27, a palestra: “Perspectiva da Aquicultura na Amazônia”, proferida pelo superintendente Federal da Pesca e Aquicultura no Tocantins, Jozafá Ribeiro Maciel. Na oportunidade, foi anunciado para o mês de junho, o início de estudos no Lago da Usina Hidrelétrica Luís Eduardo Magalhães visando à demarcação de locais para exploração de pescados. O evento aconteceu no Centro Universitário Integrado de Cultura, Ciências e Artes (Cuica) da Universidade Federal do Tocantins, no Campus de Palmas.

De acordo com Maciel, a pesquisa faz parte do projeto do Ministério da Pesca e Aquicultura denominado: “Aquicultura em Águas da União” e visa apontar as áreas com potencial, as populações, o impacto social e a demanda no setor. Segundo ele, uma empresa já está contratada (via licitação) para iniciar os estudos no próximo mês. “Será feita a demarcação de parques aquicolas no Lago da Usina de Lajeado, cada lote com 1.500 m² de área, com potencial de produção entre 15 e 45 toneladas de pescados por ano”, revelou o superintendente, acrescentando que serão oferecidos no primeiro edital em torno de 500 a 600 lotes.

Maciel também informou que os parques aquicolas serão entregues com licenciamento ambiental e prontos para a exploração não onerosa, ou seja, sem pagamento, por um período de 20 anos. “O público alvo do projeto são pescadores, populações ribeirinhas, atingidos por barragem e assentados, mas “o edital vai estipular os critérios de seleção para participação no projeto”, observou. O superintendente disse também que a previsão é que a demarcação fique pronta até o fim de 2010 para já em 2011 começar a atividade produtiva de Pacu, Caranha e Tambaqui.

Outra informação que vai ajudar na seleção dos beneficiados é que uma unidade demonstrativa, em Porto Nacional, entrará em operação já no segundo semestre deste ano. “Um dos critérios para participar da seleção será a capacitação”, afirmou. Para Maciel, com a atividade no lago, o aumento da produção vai pular de 4.500 toneladas/ano para 14 mil toneladas/ano no Tocantins. O projeto deve contemplar comunidades de várias cidades como Palmas, Porto Nacional, Lajeado, Miracema, entre outras, seguindo até o município de Ipueiras.

Fonte: Dicom UFT