Polí­tica

O secretário de governo, Carlos Braga afirmou ao Conexão Tocantins nesta segunda, 7, que a vinda do Partido dos Trabalhadores depende do resultado das pesquisas no final deste mês. “A nossa expectativa é que mais para o final do mês depois de ver as pesquisas o partido tome essa decisão”, frisou.

Braga diz que tem conversado com alguns membros do partido. “Eles estão dando mais um tempo para analisar as pesquisas, o que é legítimo e nós respeitamos isso”, afirmou.

A vinda do PP, presidido no Estado pelo deputado federal Lázaro Botelho, segundo o secretário, deve também ser um fator motivador para a adesão do PT, tendo em vista a força dos partidos aliados para a candidatura da petista presidenciável Dilma Rousseff. “A coligação com a vinda do PP fica com uma estrutura maior e pode influenciar ainda a adesão do PP”, frisou.

Braga diz acreditar que o PT fará a composição com o PT no primeiro turno no entanto não quis comentar sobre a abertura de vagas na majoritária caso a legenda integre o grupo. “Não podemos falar encima de hipóteses, temos que primeiro abrir a conversa”, frisou.

A majoritária do grupo governista assim como a da União do Tocantins já está completa. Para agregar o PT, o PMDB teria que ceder uma das duas vagas ao Senado ocupadas atualmente pelo ex-governador Marcelo Miranda e ainda pelo senador Leomar Quintanilha.

Segundo o presidente regional do PT, Donizeti Nogueira a pré-candidatura do ex-prefeito de Porto Nacional, Paulo Mourão é definitiva.