Polí­tica

Foto: Divulgação Daci Coelho disputa vaga com Sadi Cassol Daci Coelho disputa vaga com Sadi Cassol

O ex-secretário de governo da prefeitura de Palmas, Darci Coelho (PT) afirmou em entrevista ao Conexão Tocantins que seu nome está à disposição para concorrer como candidato ao Senado na chapa majoritária do grupo petista. “Queremos uma majoritária forte, por isso coloquei meu nome”, frisou.

Darci conta que disputa a vaga com o suplente de senador Sadi Cassol que já foi indicado pelo partido ao lado de Élvio Quirino (PCdoB) . “O quadro só se completa dia 30”, afirmou completando que o PT deve escolher entre os dois já que a indicação do PcdoB será mantida, segundo ele. “O PcdoB já indicou um senador, temos uma coligação”, disse.

O ex-secretário chama atenção para a questão da regionalização. “Há necessidade do critério de regionalização, todas as chapas tiveram essa preocupação”, pontuou lembrando que representa a região do Bico do papagaio. “Eu represento o Bico que nunca teve um senador eleito”, disse.

Assunto superado

Darci disse que não há possibilidade do PT desistir da candidatura do ex-prefeito de Porto Nacional, Paulo Mourão e apoiar a reeleição do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB). “Esse assunto já está superado”, afirmou. Caso não seja o escolhido, Darci disse que manterá sua pré-candidatura a deputado federal.

Darci foi convidado por Mourão para ser senador na majoritária com o apoio também do prefeito de Palmas, Raul Filho.

A estratégia, segundo informações, é tentar com que o PcdoB indique a vice-governadoria na chapa e o PT vá para as eleições com Sadi e Darci como candidato.

PcdoB não abre mão

O presidente estadual do PcdoB, Nilton Gonçalves afirmou ao Conexão Tocantins que a sigla não abre mão de indicar uma senatoria. “Uma vaga é do PcdoB não abrimos mão”, disse ele descartando indicação para vice.

Segundo o presidente, o partido poderia mudar a indicação apenas se for para agregar um partido com força maior. “Poderíamos rediscutir apenas se fosse para incorporar outro partido de maior representação no Estado na coligação”, afirmou.