Geral

Foto: Divulgação

O presidente regional do PT, Donizeti Nogueira, em entrevista ao Conexão Tocantins, comentou sobre o resultado da pesquisa divulgada pelo Sinduscom que mostra o pré-candidato da sigla, Paulo Mourão com 7% de preferência, ficando assim em último lugar.

“Recebemos bem. Para o PT foi positiva”, disse. Para o presidente, a percentagem de indecisos, 9%, é um fator estimulador para o partido. “Isso nos coloca em condição de disputa com muita tranqüilidade”, disse.

O presidente afirmou que está animado com a candidatura de Mourão e que acredita no crescimento de Mourão a partir do dia 30 de junho. Um dos elementos que ajudarão nesse crescimento, segundo Donizeti, é a exposição midiática através dos programas eleitorais.

Questionado sobre a rejeição de Mourão, a maior entre os pré-candidados, 33%, o presidente afirmou que vê com naturalidade. “Vejo com naturalidade, retrata o momento”, frisou completando que Mourão é o menos conhecido entre os três pré-candidato o que contribui para a rejeição.

Lembrando a rejeição do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) na eleição de 2008, Donizeti conta que esse percentual de rejeição é de fácil reversão.

Senado

Para a preferência ao Senado, Donizeti pontua que achou “estranho” a colocação dos nomes na pesquisa, já que o pré-candidato do partido, Sadi Cassol já colocado com aprovação da convenção estadual da legenda não apareceu na pesquisa. “ Isso levanta suspeita no sentido que ela (a pesquisa) não foi fiel ao que já está colocado”, afirmou.

Já na modalidade espontânea os números revelam que o ex-deputado Darci Coelho, que também colocou seu nome como pré-candidato ao Senado, foi citado por 1% dos entrevistados, além do nome do próprio Donizeti.

Confira na íntegra a entrevista com o presidente regional do PT, Donizeti Nogueira