Polí­tica

Foto: Kleiber Arantes

Desde antes das convenções o governador e candidato a reeleição, Carlos Henrique Gaguim (PMDB) tem dito que vai vencer o ex-governador Siqueira Campos (PSDB) com uma vantagem significativa de votos.

Ontem em entrevista ao Jornal do Tocantins o peemedebista afirmou que acredita na possibilidade de ser candidato único no pleito. Mais do que clima de otimismo com a campanha, as declarações de Gaguim podem ter base numa possível debandada de membros do grupo de Siqueira, que, se concretizadas, poderão causar uma reviravolta no atual cenário da política estadual.

Fontes ouvidas pelo Conexão Tocantins durante o fim de semana dão conta de que uma articulação está sendo feita nos bastidores em torno do senador João Ribeiro (PR), deputado federal Eduardo Gomes (PSDB) e ainda do democrata Júnior Marzola (DEM).

Gomes e Marzola estariam conforme as informações, insatisfeitos com a invasão em bases eleitorais, e, sendo assim, se aproximaram de governistas. A adesão de Marzola e Gomes à campanha de Gaguim pode acontecer nas próximas semanas, mas não há ainda data marcada. Na última sexta-feira Marzola se encontrou com o governador Carlos Gaguim.

Gomes depois do episódio no qual não foi escolhido para disputar o Senado estaria insatisfeito com o grupo e pretendendo seguir com campanha independente. Além disso, seu irmão Hiram Melchiades Torres Gomes ocupa atualmente a subsecretaria da Casa Civil do governador.

Já Marzola que teve publicamente desentendimentos com a senadora Kátia Abreu (DEM) estaria sem apoio por parte da democrata e ainda insatisfeito com a colocação do filho da senadora, Irajá Silvestre para concorrer também a uma vaga na Câmara Federal. A senadora teria atacado suas bases eleitorais no Bico do Papagaio em cidades como Esperantina, Sitio Novo e Augustinópolis.

João Ribeiro

Uma fonte governista confirmou ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 26, que o senador João Ribeiro está conversando com o grupo do governador Carlos Gaguim e ele “poderá aderir no momento certo”, informou a fonte. Além da proximidade de Ribeiro com governistas e ainda o fato de receber apoio do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) e vereadores da base de Gaguim outros acontecimentos podem estar contribuindo para um entrosamento de Ribeiro com a base gaguista.

Um deles por exemplo seria a falta de comunicação com o senador dentro do grupo. Todos os presidentes de partidos da coligação Tocantins levado a Sério assinaram nota de repúdio ao governador e Ribeiro não assinou porque não foi consultado pelo grupo, como confirmou o senador através da assessoria de imprensa na manhã desta segunda, 26.

“o senador não foi consultado sobre a nota”, informou a assessoria. Ribeiro tem ainda em comum com o grupo de Gaguim o apoio à presidenciável Dilma Rousseff (PT) e dois deputados, Paulo Roberto Ribeiro e Stálin Bucar, que fazem campanha no grupo do governador e não apoiam Siqueira.

Dorinha

A ex-secretária de Educação e candidata a deputada federal, Dorinha Seabra (DEM) também seria uma das sondadas para aderir ao grupo. Em entrevista ao Conexão Tocantins nesta segunda-feira, Dorinha afirmou que até o momento ainda não conversou com ninguém do grupo.

Conforme as informações, a conversa estaria sendo feita através do ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) que já afirmou ao Conexão Tocantins que a vinda de Dorinha para o grupo do governo seria muito importante.

“Está tudo tranquilo, estou seguindo na minha campanha junto com as lideranças cumprindo os compromissos com a majoritária, respeitando o grupo e espero que o grupo me respeite”, afirmou.

Indagada sobre possível insatisfação com o grupo ela afirmou que “até o momento a senadora tem cumprido o combinado”, disse.

Procurados

Tanto o deputado federal Eduardo Gomes como Marzola foram procurados pelo Conexão Tocantins mas as ligações foram encaminhadas para a Caixa de mensagens.