Polí­tica

Foto: Divulgação

O candidato ao Senado, Vicentinho Alves (PR) concedeu entrevista na 96 FM ao jornalista Helder Peixoto e também no programa 30 Minutos, veiculado na Redesat (Canal 13) nesta terça-feira, 10.

“Destinei, como deputado federal, mais de 100 milhões de reais para as cidades tocantinenses, através de recursos para obras e projetos de 76 prefeituras. Como senador, viabilizarei ainda mais recursos para ajudar nosso estado a voltar a crescer.”, afirmou o candidato na entrevista ao vivo.

Quando perguntado sobre que áreas o Tocantins encontra deficiências em políticas públicas, Vicentinho apontou que a ineficiência do “Governo do Estado no combate à fome, a distribuição desigual de renda e o caos na saúde pública tem prejudicado o desenvolvimento do Tocantins e martirizado nossa gente”, disse.

Fome

O candidato falou ainda no programa sobre o combate à fome. “O Tocantins é o Estado, abaixo apenas de Alagoas, em que as pessoas mais passam fome. Cerca de 16% da população passando fome?! Este não é o Tocantins que eu sonhei quando criança, quando jovem e agora como político”, criticou Vicentinho.

Quando abordado pelo jornalista Helder Peixoto a respeito da saúde, Vicentinho foi enfático em afirmar que “a saúde do Estado está um desastre – em Porto Nacional e em Palmas é uma tristeza; em Araguaína, até deixar fechar o IML da cidade já conseguiram. A que ponto chegamos...”, questionou o candidato.

“Quero ser o senador para melhorar os assentamentos de nosso Estado, ser o senador para viabilizar os recursos para a habitação, para a saúde, para que no próximo governo de Siqueira Campos, possamos avançar e retirar o Tocantins deste estado de abandono em que se encontra há 7 anos”, disse na entrevista.

Experiência no Senado

Vicentinho disse durante a entrevista no rádio que o Senado Federal não é escola, para servir como local de aprendizado para político que pleiteia vaga na Casa, nas eleições deste ano.

“O Senado não é escola. Para entrar ali é preciso, primeiro, ter competência, estar preparado e consciente de trabalhar, ininterruptamente, por seu estado e pelo país; segundo, o povo precisa aprovar o político, confiando-lhe seu voto, mas ouvindo suas propostas e analisando quais, entre os que disputam as duas vagas a que tem direito o Tocantins neste pleito, a quem tem mais respaldo, é ficha limpa e possui honradez para trabalhar pela nossa gente”, pontuou o candidato.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Vicentinho Alves