Geral

Foto: Divulgação

O Centro de Educação do Trabalhador – CET, escola que faz parte do Serviço Social da Indústria - SESI, realizou na última sexta, 27, apresentações teatrais dos alunos do 2º Período do EBEP - Educação Básica e Educação Profissional, sobre as questões sociais no Brasil que contribuíram para a identificação de preconceitos sociais e culturais.

Sob o tema Preconceitos, exclusões e marginalização social, a instrutora de geografia do Sesi Gurupi, Ariádnine Sechi, realizou um levantamento com os alunos, das condições sociais de alguns grupos, como pessoas desempregadas, criança, mulher e idoso. “Durante toda a semana buscamos conhecer as causas e as conseqüências do preconceito nos baseando em textos e discussões em sala de aula. Analisamos os processos históricos, sociais, econômicos e políticos que desencadearam essas questões de exclusão e marginalização”, explicou a professora.

Com base no conhecimento adquirido, os alunos montaram peças teatrais e apresentaram para os colegas no Sesi Indústria do Conhecimento. “A escola não é uma ilha, e entre alunos e professores estão presentes as mesmas relações de uma sociedade que estimula o individualismo. A nós educadores, cabe uma posição consciente contra essa cultura de preconceito, começando por identificar e combater atitudes que podem comprometer o convívio entre pessoas e envenenar a vida social”, explica Kátia Martins, coordenadora pedagógica do Sesi Gurupi.

Para Salviano Martins, gerente do Sesi, a escola deve estimular os alunos a identificarem os preconceitos e a valorizar diversos aspectos de outras culturas, “para evitar a discriminação e ampliar o conhecimento que a turma tem de mundo”, observa o gerente.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sesi