Polí­tica

Foto: Divulgação

Cumprindo seu segundo compromisso da agenda em Gurupi, o candidato ao governo, Siqueira Campos (PSDB) participou brevemente de reunião na chácara do vereador Marcão do Povo (PR), candidato a deputado estadual. Pelo fato da reunião ter sido aberta com atraso, Siqueira se restringiu apenas a discursar para a população ali presente, partindo logo em seguida para a Associação Gurupiense dos Amigos do Basquetebol.

Na ocasião, o anfitrião Marcão iniciou seu discurso destacando que o governo de Carlos Gaguim (PMDB) não estaria cumprindo seus compromissos com o povo do Estado. Em tom irônico, o candidato afirmou que “quando um homem trai uma mulher, ou uma mulher trai um homem, não merecem mais confiança. Quando um político trai seu povo, ele merece ser chutado da pollítica”, disse.

Em sua fala, Marcão ainda cobrou do senador João Ribeiro (PR), candidato à reeleição, a construção de uma creche na Vila São José, onde aconteceu a reunião. “Porque a mulher tem que trabalhar e se auto-sustentar”, completou.

Já na fala do locutor que estava animando o palanque, já se pode perceber o costumeirto tom que Siqueira Campos dá aos seus discursos. No momento, ele convidou o candidato a falar “sob a luz do Espírito Santo de Deus”, exclamou.

O candidato ao governo iniciou sua fala justificando seu atraso, por ter participado das comemorações dos 20 anos da criação do Estatuto da Criança e do Adolescente, em Palmas. “Como candidato tive que apresentar um trabalho lá”, informou.

Durante seu discurso, o ex-governador teceu críticas ao atual governo e acusou a administração de Gaguim de desvio de dinheiro. “Estão desviando o dinheiro do povo. Transformaram o Palácio Araguaia em um grande balcão de negócios”, completou.

Na ocasião, Siqueira Campos destacou alguns de seus projetos nas áreas de saúde e educação, como a construção de mais escolas de tempo integral e de um hospital regional em Gurupi. “Eu vou acabar com as filas de atendimento. As mulheres estão morrendo de parto”, afirmou.

O candidato também criticou o alto custo da energia elétrica no Tocantins. Na ocasião, Siqueira lembrou que, em sua gestão, foi firmada uma parceria público-privada para a criação da Celtins. “Mais de 50% da Celtins é do Estado, como é que o preço da energia é tão alto?” questionou.

Adotando o costumeiro tom de pai do Tocantins, Siqueira lembrou de suas ações na divisão do norte goiano e da criação do Tocantins. O candidato afirmou que, mesmo depois de mais de 20 anos da criação do Estado, o Tocantins ainda carece de muitas ações. “Lutei 40 anos pela criação do estado.Fiz greve de fome e fui preso. Sofri que nem couro de picar fumo. Mas não separei esta região do norte de Goiás para voltar a ser corredor da miséria”, completou.

Após seu discurso, Siqueira Campos seguiu para seus compromissos enquanto sua majoritária permaneceu na reunião com Marcão do Povo.