Polí­tica

Foto: Divulgação

A coordenadora executiva da campanha da coligação Tocantins Levado a Sério, senadora Kátia Abreu (DEM), apresentou, nesta sexta-feira à tarde, à Polícia Federal e para a Procuradoria Regional Eleitoral, duas denúncias de esquemas de compra de votos e apoio político que beneficiam o candidato à reeleição a governador Carlos Gaguim (PMDB). A denúncia é apresentada um dia depois que o Jornal Nacional, da Rede Globo, mostrou que o Tocantins foi, entre 2003 e 2009, o campeão (inclusive em números absolutos) de indiciamentos por crimes eleitorais no Brasil.

Na principal das denúncias, Kátia afirma que a coligação Força do Povo, que respalda a candidatura de Gaguim, está montando um megaesquema para “contratar” o voto de 15 mil pessoas na capital. O esquema consistiria, primeiro, na contratação de 50 pessoas de absoluta confiança da coligação. Cada uma destas pessoas tem a missão de recrutar 300 eleitores, distribuindo R$ 100,00 por voto assegurado a Gaguim. Assim, sem contar o pagamento dos 50 líderes, o esquema despejaria R$ 1,5 milhão.

Para a senadora, agora que ela apresentou todas as informações cabe a Polícia Federal apurar os fatos. Além do depoimento que prestou, Kátia também estava munida de cópias de reportagens do Jornal do Tocantins que retratou a matéria do Jornal Nacional desta quinta-feira.

A senadora anunciou, ainda, que vai pedir para o Exército enviar tropas para fiscalizar a eleição do Tocantins.

Gasolina

A senadora apontou, também, que um posto Pretrolíder de propriedade de José Expedito Costa Ferreira, empresário conhecido como Dito, distribui gasolina gratuita a eleitores de Gaguim que possuem seu veículo com um adesivo específico do governador candidato à reeleição. O crime, segundo a senadora, foi revelado por uma pessoa que trabalha no estabelecimento.

Fonte: Assessoria de Imprensa Siqueira Campos