Polí­tica

Foto: Divulgação

Depois da divulgação da segunda rodada da pesquisa Ibope/Tv Ahanguera nesta terça-feira, 14, que mostrou o crescimento da candidatura do deputado federal Vicentinho Alves (PR) para o Senado e empate do republicano com o candidato do PT, Paulo Mourão, começa nesses últimos dias de campanha a migração de apoios.

Nesta quinta-feira, 15, conforme informações ao Conexão Tocantins e confirmadas pelo candidato a deputado estadual e presidente da Câmara de Vereadores de Palmas, Wanderlei Barbosa (PSDB), o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) e ainda os vereadores de sua base, Milton Neris (PT), José Hermes Damaso (PDT), Mauro Mota (PT), José do Lago Folha Filho (PTN) e outros devem declarar apoio para Vicentinho.

“Até agora não fomos procurados por Marcelo (Miranda (PMDB)) e essa indefinição do TSE fortalece o nosso grupo a apoiar Vicentinho”, frisou Wanderlei, confirmando que a tendência é que o grupo declare apoio nesta quinta.

“As declarações e incertezas com relação a Marcelo estão prejudicando a candidatura dele”, frisou. Wanderlei conta que o grupo de Raul está trabalhando apenas em prol da reeleição do senador João Ribeiro (PR) e que estão sentindo a necessidade de ter um outro candidato.

“O Vicentinho é da base do presidente Lula”, frisou Wanderlei, ao justificar que não há problemas na decisão do grupo de não apoiar nenhum dos dois senadores da majoritária da Força do Povo.

O presidente do PMDB, deputado federal Osvaldo Reis já declarou que apoia Vicentinho para a segunda vaga.

Junto com Raul vai também o candidato a deputado federal Darci Coelho (PT), que tem o apoio do prefeito na disputa da Câmara Federal.

Nos próximos dias é esperado ainda que outros candidatos e lideranças da Força do Povo façam adesão à campanha de Vicentinho, devido à indecisão em torno da candidatura do ex-governador Marcelo Miranda que aguarda ainda julgamento de sua candidatura no TSE.

Consequências

O candidato ao governo, Carlos Henrique Gaguim (PMDB) já afirmou que acredita que no TSE Marcelo deverá ser barrado, mas ainda sim o governador negou qualquer cogitação para a substituição do peemedebista.

O governador disse que confia no julgamento no Supremo, no entanto, caso Marcelo ganhe a disputa e seja impugnado depois de eleito terá os votos anulados e o terceiro colocado na disputa assume.